blog do luiz fernando roxo.
independencia financeira
Início » Independência Financeira: guia completo para ir do zero à vida dos sonhos

Independência Financeira: guia completo para ir do zero à vida dos sonhos

Um dos sonhos de qualquer adulto, é com certeza alcançar a independência financeira que é a princípio nada mais do que, a aposentadoria. 

Isso mesmo, pode parecer esquisito, mas de fato essa analogia faz sentido. Isto porque assim como na aposentadoria teremos dinheiro o suficiente para bancar nosso custo de vida, mas o mais interessante é que é possível chegar a este ponto antes da terceira idade!

E pense comigo capitalista, assim como em cada etapa de nossas vidas nos tornamos livres de algo como, por exemplo, na infância das rodinhas da bicicleta ou na fase adulta quando saímos da casa dos pais por que não se tornar livre do trabalho também?

É exatamente este um dos maiores objetivos quando queremos alcançar a independência financeira, não precisar de trabalho, vivendo seja de investimentos financeiros, seja com aluguéis, ou simplesmente trabalhar só por querer e não mais por necessidade.

Portanto, este sonho da independência financeira servirá como uma porta para justamente possibilitar a realização de outros sonhos.

Se interessou? Então saiba como atingir sua liberdade financeira com este guia completo para ir do zero à vida dos sonhos! 

O que é independência financeira?

O conceito de independência financeira significa, em sua definição teórica, ter a capacidade de gerar uma renda constante por meio de rendimento de dinheiro, investimento e por aí vai que seja capaz de suprir seu custo de vida mensal por quase toda sua vida.   

Em outras palavras, quer dizer não necessitar mais da receita vinda do trabalho já que há outras fontes capazes de manter o padrão de vida. 

Como calcular a independência financeira?

Primeiro de tudo o que é importante saber e que pode ser óbvio para todos vocês é que é preciso ganhar mais do que gastar para poupar, que é a regra mais básica para atingir a independência financeira.

Com isso em mente, sabemos que poupar é a arma mais importante ao calcular a independência financeira.

Sabendo disso, é preciso botar na mesa alguns aspectos da sua vida financeira para o cálculo como seus custos mensais, ganhos mensais, patrimônio líquido, objetivos de médio e longo prazo etc.

Patrimônio Líquido

O patrimônio líquido é basicamente a subtração entre o que põem dinheiro no seu bolso (ativos) com o que tira dinheiro do seu bolso (passivo). Esquematicamente é: 

Patrimônio Líquido = Ativos – Passivos

Além disso, uma margem de erro deve entrar na equação que é aquela que simula as distorções da taxa de inflação, tornando o cálculo da independência financeira mais exato.

Com todas essas variáveis em mente só nos resta efetivamente passar para o cálculo que pode ser calculado de duas maneiras, uma mais simples e outra um pouco mais avançada.

Começando pelo mais fácil, o primeiro passo é  selecionar um valor que você deseja receber ao mês que é conhecido como valor desejado (VD) e então o próximo passo é multiplicá-lo por 300 que é o valor constante (VC).

Portanto temos esquematicamente uma equação dessa forma:

Patrimônio líquido final = VD * VC

E o valor constante não é atoa porque ele se baseia na regra dos 4% de rentabilidade que consiste no pressuposto de que a carteira do trader é diversificada entre renda fixa e renda variável, tornando sua rentabilidade média anual ou média taxa de juros real de 4%.

E se ao ano a taxa é de 4% consequentemente ao mês teremos uma taxa de aproximadamente de 0,33% que se multiplicar com o valor do patrimônio líquido final resultará no valor desejado (VD).

A fim de curiosidade veja este exemplo ilustrativo: se o valor desejado é R$2.000 multiplicando-o por 300 (VC), resultará em R$600.000 de patrimônio líquido final que se por sua vez for multiplicado por 0.33% resultará em aproximadamente R$2.000!

Agora a segunda forma que é a mais completa em quesito de variáveis é aquela na qual utilizamos da taxa de juros real para o cálculo mais exato do montante necessário para independência financeira.

Portanto, é necessário previamente saber como se chegar a taxa de juros real e já adianto que é simples, basta fazer a subtração entre a porcentagem da rentabilidade de seus ativos e descontar com a porcentagem da inflação, fica assim:

Juros real = taxa de rentabilidade dos investimentos (%) – inflação (%)

Considerando isso, o cálculo da segunda forma é feito pela divisão dos gastos anuais sobre justamente a taxa de juros real. Temos, portanto:

Patrimônio líquido final = Gastos anuais / Juros reais

Isso tudo se substituirmos as variáveis de gastos e juros reais por R$24.000 e 4%, respectivamente, teremos como resultado de patrimônio necessário o montante de R$600.000!

De forma conclusiva, é importante entender que quanto maior forem os seus juros reais menor, consequentemente, será seu patrimônio obtido como meta de independência e também o tempo para atingir esta meta! Ou seja, você precisará de menos tempo e menos dinheiro para conquistá-la.

Em quanto tempo é possível alcançar a liberdade financeira?

como alcancar a liberdade financeira

“Se a independência financeira é comparável à aposentadoria, eu preciso necessariamente estar na terceira idade?” A resposta reconfortante é: NÃO!

Isso mesmo, se o trader começar a poupar e/ou aumentar sua rentabilidade desde cedo é possível atingir a meta até antes dos 30!

Contudo isso vai depender totalmente do perfil de investidor do trader, por exemplo, aqueles mais “hardcore” muito provavelmente escolherão atingir a independência o mais rápido possível, alcançando-a em 5 anos!

E por outro lado existem os mais conservadores que vão seguir pela estrada do longo e médio prazo, poderão atingir sua independência financeira de 10 a 18 anos.   

Mas para tanto, é necessário atingir alguns requisitos, o primeiro deles é que seu patrimônio dos investimentos mensal deve superar o seu custo de vida ao mês.

Além disso, é preciso ter um critério de gastos ou melhor dizendo um teto de gastos para despesas do mês e com isso formar um planejamento financeiro.

E para os mais agressivos ou arrojados, a diversificação na renda variável será sua maior aliada, uma vez que o mercado variável apesar de íngreme pode trazer alto retorno e com diversificação este retorno sobe mais ainda.

No mais, saiba que poupar é a via mais rápida para atingir a meta porque ao contrário do que as pessoas imaginam se aumentarmos proporcionalmente o valor de poupança e o de rendimento o valor da poupança fará com diminua mais o tempo para chegar no patamar ideal.

Tipos de independência financeira

Para atingir a independência financeira o atuante deve decidir primeiro o tempo levado para chegar ao patrimônio líquido final. Para isso deve atingir alguns patamares. 

Independência de dívidas

Atingir a independência das contas é um patamar ímpar dado que cerca de 3 a cada 4 brasileiros possuem algum tipo de dívida. E que tal sair dessa estimativa, capitalista?

O brasileiro que tem como objetivo chegar à independência financeira vai previamente alcançar a independência de dívidas, saindo da estimativa.

Mas para tal é preciso muita dedicação e usar algumas dicas como, por exemplo, fazer um planejamento financeiro, poupar mais, fazer teto de gastos, criar reserva de emergência etc. 

Independência financeira para o curto prazo

Para o curto prazo estão incluídos aqueles investidores de perfis arrojados e que querem atingir a independência financeira em até 5 anos!

Saiba que apesar de parecer assustador com muito planejamento prévio é possível alcançar este estágio.

Mas os fatores que levarão a este período são, sem sombra de dúvidas, os mais rigorosos possíveis uma vez que a diversificação deve ser alta entre ativos de renda fixa e, principalmente, de renda variável.

E como já sabemos o mercado variável na mesma medida que apresenta altos níveis de oportunidades de diversificação e de alta rentabilidade o tiro pode sair pela culatra por conta dos riscos, portanto, o cuidado deve ser primordial.

Além disso, o conhecimento do mercado deve ser alto para que seja alcançado o estágio mais próximo da independência financeira.

Logo, quem decidir seguir por essa via deve ter em mente vários conceitos tanto do mercado fixo quanto do mercado variável para que obtenha êxito. Além de se manter informado!

Independência financeira para médio prazo

Agora para o médio prazo o investidor fica no meio termo entre os extremos sendo classificado como perfil moderado, e para atingir o patrimônio desejado vai demorar de 8 a 15 anos.

E justamente por ter perfil moderado o investidor não foca tanto no mercado variável quanto o investidor mais arrojado o faz.

Por isso, quem decidir seguir por este caminho deve equilibrar o quanto investir no mercado fixo e no mercado variável.

Independência financeira para longo prazo

Por fim, já eliminamos investidores de perfil arrojado e moderado, agora só nos resta, portanto, o de perfil conservador que está associado ao investidor que pretende chegar à independência financeira no longo prazo.

Logo, o investidor conservador será o que mais vai demorar para atingir seu objetivo mas, contudo, será o que atingirá com mais segurança.

Dito isso, quem optar por esta terceira via precisará esperar cerca de 15 a 25 anos para chegar à independência financeira.

Mas apesar do alto índice de tempo, quem for pelo longo prazo vai focar mais no mercado fixo, que por sua vez é bem mais seguro que o variável, mas em contrapartida a rentabilidade é menor.

E embora o foco seja no mercado fixo, existem também ativos no mercado variável que possam apresentar alto nível de segurança e estes investidores conservadores podem se aproveitar disso.

7 passos para planejar sua independência financeira

Passo 1: Planejamento financeiro 

No primeiro passo, o investidor deve fazer um dossiê de suas finanças, isto é, criar um documento em que deve apresentar quanto tem receita (ativo) e quanto tem de despesas (passivos).

A partir disso, parta para análise do orçamento. 

Saiba se os ativos são maiores que os passivos e se a resposta for NÃO: calma! Análise para entender onde está indo seu capital e tente diminuir os gastos excessivos.

Mas se a resposta for SIM mas não sobra dinheiro para investir, faça o mesmo circuito.

Passo 2: Conheça seus números 

Agora no segundo passo, você deve conhecer seus números e se precisar, ajustar seu padrão de vida.

Muito bem, comece calculando seu índice de endividamento assim como seu patrimônio líquido, reserva de emergência, rentabilização dos seus investimentos etc.

Com tudo isso calculado fica fácil responder a pergunta: Devo mudar meu padrão de vida para chegar na independência financeira no tempo que desejo? 

Se a resposta for sim e você quer atingir a meta rapidamente sua quantia poupada e investida agem inversamente, pois enquanto o tempo diminui ambas as variáveis restantes aumentam.

Por isso que quem quer otimizar o tempo adota muitas vezes um padrão de vida minimalista no âmbito financeiro que tem como base a adoção de uma vida mais simples e com consumo consciente.

Passo 3: Economize seu dinheiro

Então feito todo o trabalho de organização dos seus números, agora já sabemos o parâmetro dos gastos e ganhos e se devemos mudar algo no fator econômico e estilo de vida.

A partir daí, dê prioridade em cortar gastos de despesas supérfluas que estão associadas muitas vezes ao estilo de vida e não propriamente ao custo de vida.

E uma dica que dou é tratar seu dinheiro como uma pizza, sim uma pizza, e tem ser daquelas que sempre sobra uma fatia que fazendo a analogia faz o papel de justamente restar um dinheiro para investimento, sendo recomendado ao menos 15% de seu ganho.  

Passo 4: Quite suas dívidas

Com o dinheirinho economizado no fim do mês, restará um montante bom e ele deve ser direcionado totalmente para a quitação de dívidas que tenham maiores juros a princípio.  

E logo depois de passar pela parte mais preocupante continue a economizar dinheiro e pague o restante das contas que não são prioridades.

Passo 5: Faça reserva de emergência 

Esta quinta etapa tem como objetivo de logo após quitar as contas ter um meio de evitar mais dívidas principalmente as com altos índices de juros.

E para quem desconhece o termo reserva de emergência, ela é, basicamente, uma reserva de dinheiro que deve custear suas despesas mensais em média por 6 meses e que só vai ser usada exclusivamente em emergências. 

Passo 6: Calcule a poupança

Chegando na reta final saiba qual o patrimônio líquido final é necessário de acordo com seu padrão e renda atual.

E chegar no montante você já sabe é só seguir uma das alternativas no segundo tópico deste artigo.

Passo 7: Estude e invista melhor

Agora, por fim, chegamos na etapa em que devemos aprimorar nossos dotes de trader, portanto, procure estudar mais profundamente o funcionamento do mercado porque isso pode te proporcionar meios de adiantar a linha de chegada para independência financeira.

E não pare, capitalista! Sempre há neste meio, novos materiais para estudo que vão bater à sua porta com uma grande oportunidade.

Além do mais, ficar cada vez mais especialista no mundo financeiro te auxiliará a navegar em mares nunca antes navegados por você e quem sabe se nunca tentou poderia iniciar em investimentos de renda variável.

Concluindo, invista mais e mais, afinal a diversificação é sua maior aliada!

Diferença entre liberdade financeira e independência financeira

Muitas pessoas de antemão cismam em acreditar que liberdade financeira e independência financeira são a mesma coisa, mas fique sabendo que não é bem assim.

Primeiramente, a diferença mais marcante é o modo com que você se comporta com o dinheiro.

Quero dizer, enquanto na independência financeira o autuante terá dinheiro para viver uma vida mais tranquila e provavelmente se emancipar do trabalho na liberdade financeira conseguirá gastar dinheiro sem comprometer a questão do rendimento. 

Dados do Brasil sobre liberdade financeira:

Endividamento

Infelizmente nós brasileiros estamos batendo, atualmente, novos e novos recordes de endividamentos em Julho deste ano por exemplo acabamos de bater um recorde de maior índice histórico de endividados cerca de 71,4%!

No mais, ainda por volta de 1 a cada 4 brasileiros estão com dívidas atrasadas, que se trata do terceiro aumento seguido. E para piorar 10,9 % dos brasileiros não possuem indícios de que vão quitar as contas e continuam inadimplentes.

Sim, o Brasil está com uma situação alarmante pois o que tava ruim entrou num efeito bola de neve advinha por conta do que? Exatamente, a pandemia fez com que muitos setores despencassem o rendimento, o que aumentou substancialmente a taxa de endividamento.

Para ser mais exato no mesmo mês de Julho no ano passado quando a pandemia ainda não entendíamos muito bem a gravidade que se tornaria os índices de endividamento eram de 67,4%.

Mas, por outro lado, houve pequenas quedas na taxa de contas atrasadas e inadimplentes em comparação a julho do ano passado também, que eram, respectivamente, no percentual de 26,3% e 12%. 

Aposentadoria

Como disse estamos em uma série de recordes e a aposentadoria não ficou de fora, pesquisas de 2019 mostram aumento de 16% em comparação a 2012 ( o primeiro ano em que o IBGE apurou os dados)

Com isso, o montante da aposentadoria representava, em 2019, uma taxa de 20,5% de todo rendimento da população brasileira.

Conclusão

No fim você deve ter chegado até aqui é entendido quando no início do artigo disse que a independência era um sonho, não é mesmo? Afinal quem não quer ter a liberdade de gastar com pouca preocupação mas com prudência?

Além de que o trabalho, em alguns casos, pode ser descartado pois a renda recebida de ativos e/ou aluguéis vão servir como um guarda-chuva contra preocupações desse tipo.

E aí você está pensando em atingir este patamar tão almejado? Siga todas as dicas e o passo a passo apresentado e conte-me nos comentários como estão! 

Luiz Fernando Roxo

adicione um comentário

Mais lidas

Fique por dentro

receba gratuitamente as atualizações do blog!

siga-me

Não se acanhe! Entre em contato!