blog do luiz fernando roxo.

planejamento financeiro: saiba como definir as suas metas.

Nos últimos anos é nítido que a preocupação dos Brasileiros com a sua saúde financeira melhorou e mais pessoas passaram a fazer um planejamento financeiro.

Mas, ainda estamos muito ruins quanto aos resultados práticos na saúde financeira das pessoas e famílias.

De nada adianta ler e estudar as orientações dos especialistas e conversar muito sobre o assunto, se não praticar.

Muito se fala em “Independência Financeira”, “Ficar Rico”, “Investimentos” e “Dinheiro”, mas pouco há de concreto. Antes de tais pretensões, é necessário fazer o básico, por isso, o início de tudo é o Controle Financeiro.

Planejamento financeiro e o Controle Financeiro.

O ponto de partida para ter um bom Controle Financeiro é saber exatamente quanto ganhamos e quanto gastamos por mês (FLUXO DE CAIXA).

A maior parte da população adulta e financeiramente ativa não quer perder tempo fazendo controle das suas finanças, isto é, não sabem controlar o seu FLUXO DE CAIXA.

Diante dessa situação, muitos começam a entrar no “buraco sem fundo” dos créditos e empréstimos pessoais, que tanto faz mal ao bem-estar, relacionamentos familiares e à qualidade de vida.

Infelizmente, estas pessoas só farão isso quando a saúde financeira estiver debilitada.

E é neste momento que pessoas estranhas passam a fazer parte do contexto familiar (Gerentes de Bancos, por exemplo), dando conselhos que, em geral, nada tem a ver com as expectativas e desejos das pessoas, pois os interesses que estarão em pauta não serão mais os das pessoas, mas sim os interesses das instituições das quais estes terceiros fazem parte.

Mas afinal, o que é um bom controle de despesas?

Em primeiro lugar você deve começar pelas receitas.

Geralmente, você sabe o quanto ganha por mês, ou ao menos, tem alguma uma ideia. No entanto, precisa ser melhor que isso!

É preciso anotar, mensalmente, todas as receitas como salário, horas extras, bônus, participação nos lucros, 13º salário, férias e até os vales refeição e alimentação.

Depois disso, você vai anotar as despesas: é algo simples, mas é aqui que há muita indisciplina e falta de dedicação.

Um bom controle de despesas deve ser feito com o registro de todos os nossos gastos: cafezinho, docinho, cinema, happy hour com os amigos, supermercado, taxas bancárias, água, luz, escola, impostos, gasolina… nada deve passar.

Mas, é exatamente nisso que a maioria das pessoas se perdem, pois, pulam o passo mais importante, de modo que os próximos passos se prejudiquem.

É como desejar ser médico sem estudar os primeiros anos da faculdade.

Estresse, insônia e brigas familiares são alguns dos problemas que podem ocorrer e reduzir a qualidade de vida de quem não controla as despesas.

Mesmo para quem não entra em dívidas, isto é, para quem consegue pagar todas as suas contas, há uma observação: com controle, pode-se chegar mais longe e melhor.

O controle financeiro é extremamente importante para:

Você tem que identificar todos os erros que podem ser corrigidos nas despesas e todas as oportunidades que podem ser geradas.

Além disso, após um pequeno período desse controle rigoroso, você não vai ter tanta preocupação. Isso porque já estará educado e saberá a identificar o que agrega ou não agrega valor.

Da mesma forma, você vai identificar alguns indicadores que podem ser corrigidos nos próximos meses.

O primeiro fator é saber o percentual de despesas fixas e variáveis, o segundo é saber identificar as despesas necessárias e as desnecessárias.

Despesas Fixas e Variáveis.

Despesas fixas são aquelas que estão no orçamento e que não é possível alterar o valor.

 Por exemplo: aluguel ou financiamento da casa, taxa de condomínio, IPTU, IPVA, financiamento do carro, escola dos filhos, etc.

Despesas variáveis são todas aquelas você pode controlar os valores: alimentação, lazer (tais como cinema, happy hour, passeios, etc.), luz, água, combustível do carro, cafezinhos, etc.

Então, o mais importante dessas classificações é saber que, quanto menos despesas fixas houver no orçamento, melhor será. Isso porque é muito mais fácil reduzir ou excluir uma despesa variável que uma despesa fixa.

Além disso, ao entrar uma despesa fixa no seu orçamento, é necessário ter visão de longo prazo, pois no meio do caminho você pode, por exemplo, ter um filho que não estava nos planos, uma viagem ou uma doença.

Esses eventos poderão atrapalhar muito o equilíbrio das finanças, uma vez que as novas despesas vão surgir e não você não conseguirá excluir os compromissos fixos que já fazem parte do dia a dia (pelo menos não rapidamente).

Algumas despesas, apesar de serem variáveis têm características de despesas fixas. É o caso do supermercado, da luz, do combustível, entre outras.

Não conseguimos excluir, mas se pode reduzir. Por exemplo:

Será que os banhos não podem ser mais curtos?

Será que não se está desperdiçando muitos alimentos em casa?

Não se está pedindo muita comida de fora?

Gastando muito com roupas?

Trocando excessivamente de celular?

Necessário x Supérfluo.

O segundo indicador que podemos verificar com o Controle Financeiro, tem a ver com a relação Necessário e Supérfluo.

Por exemplo: o pagamento do aluguel ou do financiamento da casa é NECESSÁRIO, já o pagamento da TV a cabo é SUPÉRFLUO.

O pagamento da escola dos filhos é necessário, mas as mensalidades do clube ou academia podem ser dispensáveis.

Então ao fazer isso para todas as despesas, você pode identificar o que é necessário e o que é supérfluo.

Com estes exercícios bem simples, você consegue identificar e corrigir os desvios no orçamento.

Ainda, por exemplo você pode:  identificar uma assinatura de TV a CABO com 200 canais, sendo que, você só assiste cinco canais. Ou ainda, paga uma academia em que mal frequenta. Exagera nas despesas com HAPPY HOUR. Compra muitas roupas e usa pouco.

Identificou os desvios na sua vida?

Agora você vai eliminar ou reduzir algumas dessas despesas, de modo que economize por exemplo R$ 800/mês, que vão significar R$ 9.600/ano.

O que se pode realizar com este valor?

Qual sonho?

Matricular os filhos na escola de inglês?

Marcar a festa de casamento?

Planejamento Financeiro: Metas / Sonhos.

Agora, você precisa dar outro passo importante: conversar com a família sobre SONHOS. Quais são as coisas mais importantes para nossa vida? Quais são os desejos do nosso cônjuge? E os dos nossos filhos?

É importante ter uma conversa franca com todas as pessoas que compõem o seu círculo familiar e que podem impactar ou ajudar os sonhos individuais e coletivos.

Isso deixará bem claro o que é importante para cada integrante e vai aproximar todos para o trabalho em equipe e para o bem individual e coletivo.

Este exercício deve ser realizado sem bloqueios e sem impedimentos, isto é, independentemente do que cada um acha razoável ou não, todos devem expor seus sonhos, sem juízo de valor e sem ataques.

Feito isso, será a hora de escrever as METAS.

Como definir as Metas.

Há inúmeras sugestões para um bom plano de contratação de metas, mas em nosso exercício, utilizaremos a mais simples e eficaz, sem muita complicação.

Antes, precisamos saber o que é uma meta e para isso vamos pensar em três exemplos que não são metas.

• Emagrecer 10 quilos. NÃO É META. É DESEJO.

• Vou poupar R$ 5 mil. NÃO É META. É DESEJO.

• Vou mudar de emprego. NÃO É META. É DESEJO.

Exemplo de boas metas.

Dieta.

1. O que eu quero? Emagrecer 10 quilos.

2. Qual é o meu prazo? Até 30 de dezembro de 2019.

3. Quais os planos de ação? Dieta com a ajuda de um nutricionista, matricular-se na academia, trocar elevadores por escadas e caminhar para o trabalho.

4. Quem pode ajudar/envolver-se? Cônjuge, filhos, amigos…

Poupança.

1. O que eu quero? Poupar R$ 5mil.

2. Qual é o meu prazo? Até 30 de dezembro de 2019.

3. Quais os planos de ação? Reduzir despesas (R$__/mês), iniciar uma poupança com R$__/mês e aumentar R$__/a cada mês, pedir aumento de salário ou procurar emprego com salário maior.

4. Quem pode ajudar/envolver-se? Cônjuge, filhos, chefe, amigos…

Emprego.

1. O que eu quero? Emprego novo para ganhar mais.

2. Qual é o meu prazo? Até 30 de dezembro de 2019.

3.  Quais os planos de ação? Preparar o currículo, acionar a rede de contatos, matricular-se em um curso para novas qualificações…

4. Quem pode ajudar/envolver-se? Cônjuge, amigos, contatos profissionais…

Meta é algo que desejamos e que podemos claramente definir e mensurar.

Obs.: Nem todos os envolvidos precisam saber das metas, mas poderão ajudar.

Por exemplo, não é necessário dizer a todos que temos uma meta individual de procurar um emprego novo.

Simplesmente peça ajuda sem entrar em detalhes, se assim preferir.

E procura-se afastar de pessoas que possam atrapalhar a conquista dessas metas.

Planejamento Financeiro.

Até aqui, falamos sobre CONTROLE, sobre METAS, agora é hora de fazermos o planejamento financeiro, que irá contemplar todos os ajustes e desejos para os próximos 12 meses, tendo em vista a busca pela realização dos sonhos.

É este planejamento que irá demonstrar se você está conseguindo controlar as receitas e despesas a fim de canalizar os recursos para atingir as METAS.

Este será o nosso PLANO DE VOO.

O planejamento financeiro é exatamente o mesmo que qualquer empresa organizada faz, seja ela pequena ou grande.

É a programação dos próximos 12 meses, considerando, o histórico financeiro da empresa e as suas metas de crescimento para o futuro.

Com isso, você vai orçar o quanto se espera de receitas (salários, bônus, horas extras, etc.) e a alocação destes recursos, ou seja, quais serão os seus gastos.

O planejamento financeiro deverá abordar todos os seus desejos e, para isso, você vai usar as metas já definidas.

Você já sabe aonde quer chegar, agora é necessário traçar o PLANO DE VOO e os caminhos a perseguir para chegar aos seus destinos, para assim atingir os seus objetivos.

Vale te lembrar que: sem uma Planilha Financeira dificilmente você vai conseguir realizar o planejamento financeiro. Com a planilha será possível controlar, sonhar e planejar.

É extremamente importante! Na planilha de planejamento financeiro, o primeiro grupo de despesas chama-se INVESTIMENTO, é esta conta que você deve considerar, a partir de agora, como a conta mais importante.

Antes de pagar aos outros, você deve se pagar primeiro, isto é, pagar os seus SONHOS, como por exemplo, nossa independência financeira.

A partir de agora, essa DESPESA deve fazer parte do nosso dia a dia.

Não é necessário, mas vale ressaltar que alguns imprevistos poderão surgir, ajustes no orçamento serão necessários, as METAS poderão carecer de mais flexibilidade, por isso, nem tanto a terra, nem tanto o mar, seja equilibrado!

Resumindo este conteúdo:

• Controle Financeiro permitirá corrigir desvios e encontrar oportunidades.

• Escrever os Sonhos individuais e familiares é o que vai dar sentido a tudo.

• O Planejamento financeiro será nossa CARTA DE VOO; é ele quem orienta sua viagem.

luiz fernando roxo.

luiz fernando roxo.

adicione um comentário

fique por dentro

receba gratuitamente as atualizações do blog!

siga-me

Não se acanhe! Entre em contato!

 

Luiz Roxo Comunidade Telegram

faça parte da minha comunidade no Telegram

Fazer parte de uma comunidade é fundamental para o seu processo de desenvolvimento. Isso ajuda você a tirar suas dúvidas e realmente aprender. Acesso a conteúdos EXCLUSIVOS! Para fazer parte, basta responder a uma pesquisa!


quero fazer parte.