blog do luiz fernando roxo.
juros simples e composto
Início » Use o juros simples e composto a seu Favor

Use o juros simples e composto a seu Favor

O juros simples e composto podem trabalhar contra ou a seu favor. É comum vermos taxas de juros atrelados aos valores finais de pagamento, quando o assunto é investimentos ou empréstimos, por exemplo. 

O conceito de “juros”, apesar de presente de forma ampla no nosso dia a dia, ainda pode confundir as pessoas, especialmente aqueles que não se dão bem com a matemática.

Além disso, ainda existe a diferença entre os tipos de juros, sendo eles simples ou compostos, e onde esses tipos diferentes de juros são utilizados especificamente.

Se você tem dúvidas sobre essas taxas, onde se aplicam e como são calculadas, basta continuar a leitura para entender como utilizar essas taxas a seu favor.

Juros simples e juros compostos: o que são?

O conceito de “juros” é muito utilizado no universo de transações financeiras, e significa basicamente o retorno ou rendimento de uma aplicação monetária realizada.

O “juro” é o valor adicional pago quando um pagamento é atrasado, ou como uma taxa adicional ao se tomar um empréstimo, para exemplificar.

Em suma, os juros são bons para quem empresta dinheiro, e péssimos para quem precisa pegar dinheiro emprestado. Quando se deve dinheiro, esse valor tende apenas a crescer, fazendo com que a dívida fique maior. 

Exatamente por isso é importante controlar suas dívidas, pois cada real de juros que você paga poderia ser investido em seu patrimônio.

Porém, os juros podem trabalhar contra ou a seu favor, depende do seu conhecimento. Então fique atento aos nossos conteúdos sobre finanças pessoais e investimentos porque te ajudará a fazer boas escolhas.

Diferença entre juros simples e composto

Os juros simples são taxas acordadas de antemão que incidem sobre o valor inicial negociado.

Se, por exemplo, você realizar um empréstimo de R$100,00 com taxa de 1% de juros simples ao mês, essa taxa não se altera ao longo do tempo.

E portanto o valor final sempre será constante, ou seja, 1 real adicional ao mês.

Este tipo de juros é presente mais em pagamento de impostos e alguns financiamentos, mas no geral, essa modalidade não é mais utilizada no mercado financeiro, apesar de ainda ser importante entender como ele funciona.

Na questão dos juros compostos, ele funciona como juros sobre juros, sendo aplicadas sobre o valor total negociado, adicionado ao valor a cada mês.

Exemplificando, aquele mesmo empréstimo de R$100 reais, agora com uma taxa de juros compostos de 10% ao mês:

  • No primeiro mês, estaríamos com o valor de R$110,0;
  • No seguro mês, aplicamos 10% sobre os R$110,00, chegando a R$121,00;
  • No terceiro mês, seguindo essa lógica, ficaremos com R$133,10.

E assim de forma sucessiva, até a liquidação desta operação financeira.

Várias aplicações financeiras, investimentos e financiamentos trabalham com o juro composto, uma vez que ele é bem mais lucrativo do que sua contrapartida o, simples.

Para resumir:

Juros simples

  • Os pagamentos ocorrem em períodos de tempo fixos, como mensalmente ou anualmente;
  • Mantêm-se fixos ao longo do tempo, sem sofrer alterações, ao menos que por motivos de força maior, como inflação;
  • Seus valores ao longo do tempo formariam uma linha reta ascendente em um gráfico.

Juros compostos

  • São pagos ao investidor apenas no vencimento do contrato, e não em tempos fixos;
  • Enquanto a taxa se mantiver acima da inflação, ele estará gerando mais lucros;
  • Seus valores ao longo do tempo formariam uma curva ascendente em um gráfico.

Como calcular juros simples e juros compostos?

Tudo isso é bem interessante, mas o que realmente interessa com relação à juros é a forma de calcular eles, de forma a prever exatamente quanto certo investimento renderá ao longo do tempo, especialmente para longos períodos de tempo ou contratos com a data de resgate pré-determinada. 

Você pode usar uma calculadora de juros simples ou compostos na hora de fazer seu planejamento

Mas, trouxe a fórmula abaixo para quem quiser entender exatamente o que está fazendo e a importância desse cálculo. 

Continue lendo para saber qual tipo de juros é mais vantajoso.

São as fórmulas:

A fórmula dos Juros simples é a seguinte:

Juros = Valor inicial × taxa de juros × tempo de investimento

Seguindo essa fórmula, é possível saber o valor final devido apenas somando os juros calculados dessa forma ao valor inicial sobre o qual os juros incidem.

Já, para calcular os juros compostos, a fórmula é:

Valor final = Valor inicial × (1 + Taxa de juros)tempo da aplicação

É importante manter em mente as unidades  ao se calcular essa taxa, uma vez que elas podem variar.

Se, por exemplo, uma taxa mensal for cobrada ao longo de anos, lembre-se de multiplicar o número de anos por 12 para ter os meses corretos. 

Existem diversos tempos diferentes de cobrança, como mensal, anual e até mesmo diário, portanto não esqueça de transformar a unidade no cálculo, para que todos os períodos de tempo estejam alinhados

Regra de juros simples e composto

Para colocar esses cálculos em termos mais matemáticos, as regras de cálculo de juros, segundo a matemática financeira, são as seguintes:

Para os juros simples:

J = C × i × t

Onde:

  • J = juros simples;
  • C = capital inicial;
  • i = taxa de juros;
  • t = tempo da aplicação.

Para chegar ao valor final, ou Montante (M), é necessário apenas somar os juros ao capital inicial, ou seja:

M = C + J

Substituindo o valor de J na fórmula acima, nós podemos encontrar essa fórmula para calcular o montante:

M = C + C × i × t

M = C (1 + i × t)

Esta fórmula encontrada é uma função afim, ou seja, nós podemos ver que o valor do montante crescerá de forma linear ao longo do tempo.

Para exemplificar o cálculo de juros simples:

Pegue uma aplicação de R$ 1000,00 por dois meses, com uma taxa de juros simples de 2% ao mês. Utilizando a fórmula vista acima, temos:

  • F = 1000 (1 + 2 × 0,02)
  • F = 1000 (1 + 0,04)
  • F = 1000 × 1,04
  • F = 1040

Ou seja, com uma taxa de juros simples, ao final de um período de dois meses aqueles R$1000,00 reais aplicados teriam um rendimento de R$40,00 totalizando R$1040,00 reais no fim do período.

Para juros compostos:

M = C × (1 + i)n

M = C + J

J = M – C

Onde:

  • M = montante;
  • C = capital aplicado ou valor inicial;
  • i = taxa de juro composto;
  • n = tempo de aplicação;
  • J = juro composto.

Diferente dos juros simples, essa é uma função com uma variação exponencial inclusa no cálculo, o que implica em um crescimento exponencial ao longo do tempo, e por isso, espera-se que o valor final do montante seja consideravelmente maior em longos períodos de tempo.

E agora exemplificando um cálculo de juros compostos:

Utilizando o mesmo valor do exemplo anterior, de forma a ilustrar a diferença entre os juros:

Imagina uma aplicação de R$1000,00 reais, com duração de dois meses usando uma taxa de juros compostos de 2%.

Utilizando a fórmula, temos:

  • F = 1000 (1 + 0,02)2
  • F = 1000 (1,02)2
  • F = 1000 × 1,0404
  • F = 1040,40

Ou seja, no final do mesmo período, utilizando a mesma taxa de juros, o dinheiro aplicado renderia no final o montante de R$1040,40, ou seja, 40 centavos a mais do que os juros simples.

Pode não parecer muita coisa, mas esse é um exemplo de curto prazo. 

À medida que o tempo for passando, esses juros se acumulam exponencialmente e a diferença entre o simples e o composto se tornam muito mais evidentes.

Por mais complicado que o juro composto pareça, seguindo essa fórmula simples você não terá problema algum em calcular os juros de qualquer aplicação financeira.

Juros simples e composto: qual é mais vantajoso?

juros simples

Agora que temos o conhecimento matemático dos conceitos de juros simples e compostos, podemos nos aprofundar em como esses cálculos afetam os empréstimos e investimentos realizados na bolsa de valores.

A boa notícia é que quase todas as aplicações financeiras utilizam os juros compostos para os pagamentos aos investidores. 

Isto inclui a poupança, Comprovantes de Depósitos Bancários (CDBs) , Letras de Crédito Imobiliários (LCIs) , Tesouro direto, Fundos de Investimento, entre muitos outros.

Porém, lembre-se que apesar de todas essas modalidades de investimento diferentes utilizarem os juros compostos, nem todas terão a mesma rentabilidade ao longo do tempo. 

Por exemplo, os Certificados de Depósito Bancário (CDBs) e a poupança, apesar de utilizarem juros compostos ambos, têm rentabilidades bem diferentes. Cabe ao investidor definir qual a melhor aplicação para o melhor momento.

Já quando o assunto é empréstimo, nós vemos que, em sua grande maioria, as instituições bancárias utilizam os juros compostos.

Infelizmente isso pode gerar uma bola de neve caso o devedor não pague sua dívida a tempo, e eventualmente o valor vai crescendo até assumir proporções perigosas.

Muitas pessoas acabam amargando grandes dívidas por conta dos juros, então sugerimos tomar muito cuidado antes que seus juros tornem-se insuportáveis.

De qualquer forma, como dito antes, os juros podem ser seus heróis ou vilões, dependendo de que lado do pagamento você está. Aprenda a investir e usar os juros compostos a seu favor.

Aprenda mais sobre o mercado financeiro

Você já deve ter percebido que o mercado financeiro pode agregar muito à sua jornada financeira, seja você um investidor iniciante ou experiente.

O que você não sabe é que, quanto mais conhecimento você tem sobre um determinado assunto, mais você vai conseguir fazer dinheiro.

Isso porque à medida que você aprende novas estratégias, estará apto a colocar em prática estratégias mais arrojadas, aumentando ainda mais as suas chances de ter uma rentabilidade maior.

Então, a base para um bom investimento é sempre um conhecimento bem estruturado.

Agora, você deve estar se perguntando, ok, mas por onde eu devo começar? 

O curso Investidor Trader foi desenvolvido exatamente para você que ainda é um investidor iniciante ou então, que acabou se prejudicando no mercado por algum motivo.

Você vai aprender a dominar a renda variável do zero, com os professores Luiz Otávio Roxo e o Mário Goulart, ambos possuem mais de 20 anos de experiência no mercado financeiro e vão te guiar nesta caminhada!

Tudo isso em apenas 11 aulas, curtiu? Torne-se um Investidor Trader!

Conclusão: Usando o juros simples e composto a seu favor

Conhecimento nunca é demais, e assim como os juros, ele se acumula com o tempo e pode nos dar dividendos no futuro, nos levando a tomar melhores decisões no nosso cotidiano.

Como discutido aqui, vimos que a grande maioria dos empréstimos e investimentos no mercado financeiro funciona com base nos juros compostos, uma vez que é a modalidade de juros mais lucrativa. 

Para ganhar dinheiro, é importante não fazer dívidas para evitar que os juros fiquem contra você, e realizar investimentos adequados para que os juros fiquem à seu favor.

Calcular o valor desses juros também é importante para conseguir se planejar até o nível dos centavos e assim evitar surpresas no futuro, sabendo exatamente quanto uma aplicação terá rendido em seu vencimento.

Luiz Otavio Roxo

adicione um comentário

Mais lidas

Fique por dentro

receba gratuitamente as atualizações do blog!

siga-me

Não se acanhe! Entre em contato!