blog do luiz fernando roxo.
etf-de-criptomoedas.
Início » Etfs de Criptomoedas: 5 ETFs Listados na B3

Etfs de Criptomoedas: 5 ETFs Listados na B3

Se você como investidor já conhece os investimentos de fundos ETF, pode ser interessante saber que nesta modalidade de investimento um novo segmento tem se desenvolvido recentemente, o de ETF de criptomoedas.

Apesar de bem recente no mercado, diversos investidores já aderiram a ele, uma vez que ele representa uma ótima alternativa à compra direta dessas criptomoedas, como o Bitcoin e o Ethereum por exemplo, trazendo assim uma maior segurança ao investidor.

Vamos neste artigo falar um pouco sobre essa modalidade de ETFs e como você pode se beneficiar deste mais novo nicho de investimentos na bolsa.

O que é ETF cripto?

Via de regra, ETFs podem ter índices compostos por diversos tipos de ativos diferentes, sejam eles ações ou de outros tipos. No Brasil, o principal índice da B3 é o Índice Bovespa, que é composto por uma carteira teórica com as ações com o maior volume de negociações no mercado brasileiro. Esta mesma lógica se aplica para os ETFs de criptomoedas, com índices relacionados à criptomoedas sendo o padrão neste nicho.

Entre os índices mais conhecidos, temos:

-CME (o índice de bitcoin de contratos futuros na Chicago Mercantile Exchange)

-NCI (Nasdaq Crypto Index)

-Índices S&P de Cripto (Bitcoin, Etherium, Mega Cap)

Assim como os ETFs comuns, os de criptomoedas também são administrados por gestores profissionais que cuidam diariamente desses fundos. No entanto, uma vez que são utilizados índices da Bolsa de Valores como base, eles acarretam na chamada “gestão passiva” que é sempre determinada a buscar resultados iguais ou superiores aos índices utilizados, tendo como contrapartida taxas de administração menores do que outros tipos de fundos de investimento.

Um dos primeiros ETF de criptomoedas criado no mundo

O ETF HASH11 foi um dos  primeiros fundos baseado em índices de criptomoedas, replicando o índice Nasdaq Cripto Index (NCI) e recebendo influência de movimentações dos mercados de criptoativos.

Este ETF teve sua estreia na Bolsa de Valores Brasileira em 26 de abril de 2021 e seu IPO inicial teve uma movimentação de 600 milhões de reais. A partir deste sucesso, este ativo entrou rapidamente nas listas de investimentos mais interessantes para os investidores.

Este interesse aliado à segurança que investir em ETFs trás, fez com que em apenas dois meses após seu lançamento inicial, o HASH11 já ocupasse o quinto lugar entre os maiores ETFs na bolsa de valores brasileira, ficando atrás apenas de alternativas mais tradicionais e conhecidas nesse mercado.

ETF de Bitcoin: como funciona?

Como dito anteriormente, os ETFs de criptomoedas buscam replicar índices baseados no desempenho de criptomoedas. O ETF de Bitcoin atual é o QBTC11, que reflete o desempenho do Bitcoin no mercado, ou seja, com alocações de capital tendendo a estar atreladas ao preço médio desta criptomoeda.

Esta média é baseada nas principais corretoras que fazem a regulagem desta criptomoeda no mundo. Quem fornece esse índice é a CF Benchmarks, que também utiliza esse índice para contratos futuros de Bitcoin.

Ainda não foram estabelecidos valores referentes à taxas deste ETF no brasil, porém no Canadá temos um exemplo de ETF de Bitcoin, com suas taxas e custos sendo estimados em cerca de 1%

O que esperar do QBTC11?

Há várias perspectivas possíveis para qual o impacto que o QBTC11 vai trazer à bolsa de valores brasileira, mas quase todos apontam que esse ativo vai desempenhar um papel importante para os investidores brasileiros.

Por outro lado, uma vez que não há muitas correlações entre criptomoedas e outros tipos de ativos, isso significa que seu preço pode sofrer menos flutuações devido à fatores externos que movimentam o mercado tradicional.

A presença da QBTC11 dá ao Brasil uma posição privilegiada durante essa transformação de regulamentações financeiras em todo o mundo, uma vez que as criptomoedas têm a tendência a se tornar apenas mais comuns no dia a dia dos investidores, e essa é uma boa oportunidade de o Brasil e seus investidores serem pioneiros nesse mercado.

Conheça 5 ETFs Listados na B3

QBTC11

A gestora que toma conta do QBTC11 garante que ele é o primeiro ETF 100% Bitcoin na América Latina, tendo a sua estréia na B3 em junho de 2021. O índice que é usado para sua referência é o CME CF Bitcoin Reference Rate, que é definido pela maior bolsa de derivativos do mundo, a Chicago Mercantile Exchange Group.

Sua taxa de administração do fundo é de 0,75% ao ano, e o seu patrimônio líquido atual gira em torno de 170 milhões de reais. A cota unitária foi negociada em R$16 no final de agosto de 2021, sendo essa uma das alternativas mais acessíveis para expor sua carteira de investimentos à criptomoedas.

HASH11

O fundo HASH11 possui 95% de seu patrimônio aplicado entre cotas do Hashdex Nasdaq Crypto Index ETF e posições de mercado futuro adquiridas. O seu objetivo é obter retornos equivalentes ao NCI sem contar com despesas e taxas sobre o valor.

Atualmente esse fundo possui mais de 120.000 cotistas e seu patrimônio supera 2 bilhões de reais. Sua taxa de administração é de 1,3% ao ano, e no final de agosto o valor de sua cota unitária era de R$46, o que ainda estava abaixo do seu valor de estreia. 

Como grande parte de seu índice é composto por bitcoin, a altíssima volatilidade desse ativo afeta bastante o valor das cotas, mesmo com esse fundo possuindo 8 moedas diferentes compondo seu índice. Apesar disso, como Bitcoin e Ethereum juntos representam cerca de 95% do índice, essa relação direta com essas moedas é compreensível.

BITH11

Este ETF foi anunciado como o primeiro ETF verde de Bitcoin brasileiro, sendo um fundo de índice 100% focado nesta moeda.

Este fundo foi criado de forma a neutralizar emissões de carbono geradas pela mineração de Bitcoin, daí sua classificação como fundo “verde”.

O índice utilizado é o Nasdaq Bitcoin Reference Price (NQBTC), buscando seu valor em reais sem considerar taxas e outros custos.

Esse índice Nasdaq foi criado para ter uma base de referência do Bitcoin em tempo real, sendo necessário ter pelo menos 95% de seu patrimônio aplicado em cotas do ETF Hashdex Nasdaq Bitcoin. Este fundo aplica seus recursos em ativos negociados no exterior ou em posições de mercado futuro.

A taxa de administração do BITH11 é de 0,7% ao ano, seu patrimônio líquido gira em torno de R $70 milhões e sua cota, no final de agosto de 2021 encontrava-se em torno de R $60.

QETH11

Este é tido como o primeiro ETF de Ethereum na América Latina, utilizando como índice referência o CME CF Ether Reference Rate, que também é utilizado pelo CME Group. Sua estréia se deu no começo de agosto de 2021, ou seja, ele é extremamente recente no mercado.

Contando com uma taxa de administração de 0,75% anual e tendo patrimônio líquido de 118 milhões de reais, este é um dos investimentos mais acessíveis aos investidores brasileiros, contando com valor de cota começando em R$ 12, garantindo acesso ao Ethereum até mesmo para os menores investidores.

ETHE11

Também investindo em Ethereum, a ETHE11 é uma ETF que usa como referência o Nasdaq Ethereum Reference Price (NQETH) diferente do índice do CME como no fundo anterior.

O Ethereum é uma criptomoeda de extrema importância, sendo a principal utilizada em apps descentralizados, seja para compra de tokens não fungíveis (NTFs), corretoras descentralizadas (DEX) entre outras aplicações.

Para alcançar o índice determinado pelo NQETH, esse fundo aplica pelo menos 95% de seus recursos em cotas do Hasdex Ethereum ETF, com alocações em ativos emitidos ou posições de mercado futuro.

Sua taxa de administração é de 0,7% ao ano, contando com um patrimônio líquido de cerca de 108 milhões de reais. Em agosto de 2021, uma de suas cotas tinha o valor de cerca de R$ 51.

Onde comprar criptomoedas diretamente (não por meio de ETFs)?

onde comprar etfs de cripto

Para investidores experientes na bolsa de valores, ter uma corretora mediando suas transações financeiras é comum. Agora, para aqueles que desejam se aventurar no mercado de criptomoedas, é necessário abrir uma conta em um tipo de corretora especializada, também conhecida como exchange.

Se você está buscando investir diretamente em cripto ativos, mesmo que você já possua alguma experiência no mercado de ações, vale a pena estudar algumas alternativas entre as melhores corretoras para esse tipo de serviço.

Binance

A Binance é uma das corretoras mais bem conhecidas no Brasil e no mundo todo, sendo considerada uma das melhores neste nicho do mercado financeiro.

Tendo origem chinesa, essa instituição já se estabeleceu no mercado internacional, forjando até mesmo a sua própria moeda virtual de mesmo nome, sendo atualmente a terceira maior criptomoeda do mundo, atrás apenas do Ethereum e do Bitcoin.

Sendo assim, essa plataforma não cuida apenas de seus investimentos em cripto ativos, mas também possui sua própria gama de negócios que possuir uma criptomoeda acarreta.

NovaDAX

A NovaDAX é uma exchange que também atua globalmente assim como a Binance antes mencionada, e o seu volume de recursos também faz dela uma das melhores corretoras que atendem o Brasil. Sua origem também se deu no mercado asiático, de onde cresceu e hoje atende transações em todo o mundo.

Esta é a primeira e única exchange no Brasil que lançou um cartão de crédito pré-pago próprio, com conta digital sem anuidade ou taxas, fazendo com que o investidor possa aproveitar outros serviços desta instituição além de seus investimentos em criptomoedas, apesar deste ser o maior atrativo da plataforma.

BitPreço

A BitPreço é uma plataforma que, apesar de não ser uma exchange propriamente dita, é um mercado de transações de criptomoedas, tendo seu início em 2018 e atualmente mediando transações entre usuários e diversas corretoras, sendo elas nacionais e internacionais.

Mesmo assim, essa corretora já conseguiu alcançar vários prêmios no mercado financeiro, sendo atualmente uma das plataformas mais relevantes da américa latina.

Bitcoin Trade

Um nome visto recentemente na lista de melhores corretoras é o da Bitcoin Trade, que tem se consolidado no mercado devido à suas tecnologias de investimento, o que lhe garantiu esse lugar entre as melhores do Brasil.

Fundada no fim de 2017, esta plataforma possui credibilidade, se ao menos por seu longo tempo de atuação, contando com mais de 180 mil usuários registrados. Sua interface é outro ponto forte, uma vez que fornece aos seus usuários todas as informações que ele precisa para investir, sem que ao menos ele precise se registrar em sua plataforma.

Foxbit

Por fim a Foxbit também figura entre as melhores corretoras do Brasil, apesar de seu foco não ser na negociação em si, mas sim como mediadora de transações. 

Este serviço é 100% nacional, desenvolvido no Brasil e tendo uma boa reputação no mercado internacional. Sua atuação também oferece outros serviços que podem auxiliar novos investidores a aplicar seus recursos em cripto ativos, contando em seu catálogo com mais de 750 mil clientes.

ETFs de Criptomoedas mais promissoras para 2022

Considerando os ETFs apresentados anteriormente, podemos traçar algumas conclusões de acordo com os dados apresentados.

-HASH11 garante uma certa diversificação da carteira, e por causa disso, menor volatilidade. Em contrapartida, sua taxa de administração é a maior de todas

-QBTC11 e QETH11 são bem acessíveis, uma vez que seu valor de cotas é bem inferior ao dos de outros fundos em comparação.

-BITH11 e ETHE11 contam com as menores taxas de administração, porém, suas cotas custam um pouco mais que os outros ETFs.

Portanto, os fundos de criptomoedas mais interessantes para você vão depender de  seus objetivos financeiros ao realizar esses investimentos. Mantenha em mente suas metas e invista de acordo com elas para obter os melhores resultados possíveis e diminuir riscos imprevistos no futuro.

Conclusão

Enfim, como vimos aqui, investimentos em ETFs de cripto ativos são opções muito viáveis e não tão custosas como muitas pessoas podem imaginar, sendo possíveis aplicações iniciais bem baixas.

No entanto, é importante saber se essa opção é boa para seus objetivos financeiros, pois nem todo investimento é indicado para todos os investidores.

E sempre é importante diversificar sua carteira ao longo do tempo. Fique de olho nesses ativos e no seu perfil de investidor em relação a esses ETFs uma vez que o risco, apesar de menor do que tratando diretamente com a moeda, ainda é bem elevado em comparação com outros tipos de ativos.

Se mesmo assim você ainda deseja trabalhar neste nicho, agora você tem todas as ferramentas necessárias à sua disposição para começar a investir.

Luiz Fernando Roxo

adicione um comentário

Mais lidas

Fique por dentro

receba gratuitamente as atualizações do blog!

siga-me

Não se acanhe! Entre em contato!