blog do luiz fernando roxo.

o que são as gregas no mercado das Opções?

Ao ler esse título você deve ter pensado que: “as gregas, da Grécia?”, Brincadeira.

Na verdade, as gregas são as letras do alfabeto Grego. Mas, usamos as gregas para a matemática, física, astronomia, você pode observar que sempre tem uma letra grega para demostrar alguma coisa na área da exatas.

Mas, para o nosso mundo das Opções, usamos as gregas para as variações dos preços.

Quais letras usamos?

Usamos o Delta, Gama, Theta, Rô, e ainda acrescentaram o Vega, que não pertence ao alfabeto Grego.

Vamos entender como funciona as gregas para o mercado das Opções.

DELTA

O Delta de uma Opção representa a mudança no preço da Opção em relação à alteração no preço da ação-objeto.

Já sei, não entendeu nada nesta frase inicial.

Mas, se for necessário volte nela várias vezes, quero que você entenda o porquê dela.

Acredito, que menos de 95% das pessoas que operam Opção não entendem o Delta, e muito menos sabem como usá-lo.

O bom é que se você entender e dominar sairá na frente de outros operadores.

O Delta é responsável, por indicar quando uma Opção irá subir ou cair. Lógico que vai de acordo com a variação, sofrida por uma Ação num curto espaço de tempo.

Consistentemente, o Delta pode ser considerado como uma probabilidade de uma Opção a ser exercida.

Uma vez que, uma Opção bem dentro do dinheiro apresenta Delta bem próximo de 100%, podemos ver que a chance de haver exercício, nesse caso, é maior.

O que sempre digo, não podemos depender das probabilidades para fazer escolhas, porque ela é calculada por um modelo simplista.

E ainda, que não representa a real complexidade em seu infinito número de interações e interdependências.

Com essa consideração, você pode tirar muito proveito nas suas operações.

No entanto, as Opções no dinheiro têm cerca de 50% de delta.

Isso significa que é uma pequena variação no preço do papel, ou seja, vai fazê-lo andar metade dessa variação do preço.

Engraçado que, essa medida, assim como o velocímetro de um carro, está toda hora mudando, e o que isso tem a haver com o Delta?

O Delta é móvel, sobe e cai, à medida que o mercado varia. Todo o resto também se move, pois o mercado é vivo e dinâmico.

Exemplo: Agora, imagine que PETR4 subiu 0,10 centavos e as Opções que você tem possuem 20% de Delta. Esperamos que ela suba 0,02; pode parecer pouco, mas, se o preço dela era 0,02 ela pode subir 100% com esse Delta de 20%.

Então, quando mais fora do dinheiro e mais barata for uma Opção menor será o seu Delta.

Essa é a lei das compensações agindo. Quanto menos você pagar por uma Opção, menor o Delta e assim mais velocidade ela terá, de maneira que o Delta possa chegar à zero.

Agora entenda que o Delta não fica e nem ficará parado, porque na medida que o valor da Ação sobe ou desce, o Delta da Opção também sofre com sobe e desce.

Logo, o Delta pode ser compreendido como a velocidade com que o preço de uma Opção muda em relação ao preço da ação. Faz sentido???

GAMA

O Gama é a taxa da variação do Delta em referência ao deslocamento do preço da Ação.

Gama é um termo matemático, que representa a curvatura do Delta. Ele representa a velocidade com que o Delta mudará.

Lembra que falamos que o Delta sobe e desce?

Então, é o Gama que mede isso.

Vamos nos lembrar da metáfora do Delta e imaginar que se o Delta é a velocidade do preço de uma Opção, o Gama é a aceleração dessa velocidade.

Isso é uma afirmação que se baseia na Física, onde a aceleração é a primeira derivada da velocidade, ou seja, para obter o Gama calculamos a primeira derivada do Delta.

Enquanto o Delta é a velocidade, o Gama é o giro do motor, para um grande movimento queremos que a operação tenha muito dessas duas medidas.

Roxo como faço para calcular tudo isso?

Não se preocupe em como calcular essas medidas, muitas plataformas do mercado fazem esses cálculos e projetam tudo da maneira certa para você.

Mas, voltando.

Veja esse exemplo de Gama: Se uma Opção tem Delta de 50% e  Gama de 10%, isso significa que se o papel subir R$ 1,00 e tudo mais se mantiver, o Delta subirá de 50% para 60% de modo aproximado.

A Opção com maior Gama é a Opção no dinheiro que tem Delta próximo de 50%.

Nesse caso, o seu Delta diminui para 30% ou aumenta para 70% a qualquer alta ou baixo que o ativo sofrer.

A Opção no dinheiro é a com mais aceleração, é lá que os processos ficam mais explosivo.

Eu brinco que quando estamos no dinheiro existe muita pressão no todo.

Veja como estamos sempre usando a física para explicar os processos de mudança das Opções.

Já quando se encontra um Gama neutro, basicamente zero, é quando a Opção está bem dentro do dinheiro, como um Delta próximo de 100%.

Observa-se que é como um carro que já se encontra em velocidade máxima. Nenhuma Opção pode ter Delta valendo mais que 100%. Desse modo, não há aceleração para algo que já está em alta velocidade.

Então, você vai perceber que operar Opções é como pilotar um carro.

Tem direção, pedal e velocidade e como veremos tem freios também, uma vez que o carro sem freios não vale a pena nem ligar.

THETA

Ele mede a taxa de desvalorização de uma Opção ao longo do tempo, à medida que ela se aproxima da data de exercício.

Nesse caso se todas as demais variáveis permanecerem inalteradas as Opções se desvalorizam. Mas isso ocorre conforme o tempo passa e o vencimento se aproxima.

Agora veja só que curioso e muito assustador sobre as Opções:

Se nada se alterar, todos os dias as Opções caem, parece cruel, mas é a verdade.

Existe um prêmio de risco que pagamos nas Opções que chamamos de VE (Valor Extrínseco) em que o prêmio (preço da Opção) menos do VI (Valor Intrinseco da Opção), pode-se chamar o valor de prêmio de risco.

Nesse prêmio de risco está embutida, uma certa, expectativa de alta no preço do papel. Quando esse papel fica parado, esse Prêmio de Risco diminui, de modo que o preço (prêmio), que você pagou pela Opção, caia. Esse é o ganho do lançador de uma Opção.

É o quanto uma Opção de perder de VE num determinado período de tempo se todas as outras forças permanecerem inalteradas.

Exemplo: Se uma Opção tem um Theta de -0,04, isso significa que ela cairá, mais ou menos, 4 centavos entre hoje e amanhã.

As Opções no dinheiro são as que apresentam Theta mais elevado, pois são as que possuem mais VE. As Opções mais dentro e fora do dinheiro têm Theta menor, devido ao menor valor extrínseco nominal.

VEGA

O Vega de uma Opção é a taxa da mudança do valor da Opção em relação a uma mudança na volatilidade.

O Vega será sempre positivo para quem comprou a Opção e negativo para quem vendeu independente se a Opção for de compra ou de venda.

Exemplo: Se uma Opção tem um Vega de 0,10 centavos, isso quer dizer que uma variação de 1% para cima na volatilidade elevará o preço da Opção em 0,10 centavos se todas as outras variáveis se mantiverem estáveis.

Você vai entender melhor sobre o Vega e sobre a dinâmica da volatilidade acompanhando os vídeos no meu canal (link do canal)

Da mesma maneira que o Theta, e do Gama a Opção no dinheiro é a que possui o maior Vega, porque é a que tem maior expectativa em seu valor, tem mais VE.

O Rô representa a variação no preço da Opção se houver uma mudança na taxa de juros.

A taxa de juros de uma economia é importante para o preço de uma Opção, porque parte daquele Prêmio de Risco (VE), ganhado pelo lançador da Opção, está indexado a taxa de juros.

Uma vez que, quando ele comprou o ativo para lança-lo, ele deixou de obter o ganho sem risco, de modo que este dinheiro usado por ele renderia mais se estivesse na Renda Fixa.

Como no Brasil a taxa de juros se tornou estável, a observação do Rô não é mais importante dentre as Gregas.

Também não faz muito sentido investir na análise do Rô pois as Opções no Brasil são muito curtas.

No entanto, para que você entenda, o Rô faz uma estimativa do prêmio de uma Opção, sendo assim, uma variação da taxa de juros quando se move para um ponto percentual.

A VARIAÇÃO DAS GREGAS

Quando você vende uma Opção de compra (Call):

O Delta é negativo, uma alta no papel é prejudicial.

O Gama é negativo, uma alta deixa o delta mais Delta negativo é prejudicial.

O Theta é positivo, a passagem no tempo é favorável.

O Vega é negativo pois o aumento da volatilidade torna a Opção que você vendeu mais cara.

Quando você compra uma Opção de compra (Call):

O Delta é positivo, uma alta no papel é favorável.

O Gama é positivo, uma alta no Delta é favorável.

O Theta é negativo, a passagem do tempo é prejudicial.

O Vega é positivo em uma compra, pois aumento da volatilidade torna as Opções mais caras.

Quando você vende uma Opção de Venda (Put):

O Delta é positivo, uma alta no papel é favorável.

O Gama é positivo, na queda o delta fica mais positivo.

O Theta é positivo, a passagem no tempo é favorável.

O Vega é negativo pois o aumento da volatilidade torna a Opção que você vendeu mais cara.

Quando você compra uma Opção de Venda (Put):

O Delta é negativo, uma queda no papel é favorável.

O Gama é negativo, numa queda o Delta fica mais negativo.

O Theta é negativo, a passagem do tempo é prejudicial.

O Vega é positivo pois o aumento da volatilidade torna as Opções mais caras.

Para você simular as gregas, tem uma plataforma chamada Oplab, que você pode conhecer! Quero conhecer o Oplab.

luiz fernando roxo.

luiz fernando roxo.

21 comentários

fique por dentro

receba gratuitamente as atualizações do blog!

siga-me

Não se acanhe! Entre em contato!

 

Luiz Roxo Estratégia Pozinho

curso estratégia do pozinho.

Aprenda a investir em opções com segurança e possibilidades de ganhos explosivos. Uma estratégia consagrada com um professor super didático.


quero aprender.