blog do luiz fernando roxo.
como-investir-em-ouro.
Início » Ouro: como investir no metal que mudou a humanidade

Ouro: como investir no metal que mudou a humanidade

Como investir em ouro? O amarelo de nossa bandeira representa nossas riquezas e dentre elas a descoberta do ouro foi, mais especificamente no Brasil, o ponto ápice da evolução urbana no país que aconteceu no fim da década de XVII.

Foi, portanto,  graças a ele que houve a criação das capitanias de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais!

E não só isso, no âmbito mundial o ouro tem alta importância, sendo símbolo de poder e riqueza. Além de que gera muitos empregos na indústria como um todo, por exemplo, nos eletrônicos e especialmente com computadores.

Mas sem sombra de dúvidas o seu principal propósito é o comercial e, seguindo um pensamento mais lógico ele faz parte de moedas, mas também, indiretamente, pode ser investido nas formas de fundos ouro, como um ativo da bolsa de valores brasileira e até mesmo em barras de ouro (físico).

Outro grande uso do ouro é servir como válvula de escape em crises, isto é, serve como uma reserva de valor quando há uma queda no mercado, por exemplo, afinal trata-se de um ativo físico e por isso tem valor e demanda garantidos.

E sim! O ouro é realmente muito significativo para toda a humanidade. Mas você sabe sua utilidade no mercado financeiro? Não?  Pois, saiba de antemão que o ouro é uma ótima alternativa de diversificação de carteira.

Agora, se quer saber mais, siga lendo este artigo e saiba sobretudo como investir em ouro PASSO A PASSO!

Capitalista Selvagem Curso

3 Maneiras de investir na commodity ouro

No geral, existem três importantes maneiras de se investir na commodity ouro, entre elas, está inclusa o investimento pela própria bolsa valores que por sua vez apresenta ainda mais subdivisões.

A primeira delas é o mercado à vista, que é aquele mais tradicional, sabe? 

E que possui ao todo, na B3, três contratos diferentes cujos códigos são OZ1D, OZ2D e OZ3D que possuem em comum serem exclusivamente comprados à vista e não possuírem vencimento, além de não ser permitido vendê-los a descoberto.

Em primeiro lugar, o ativo OZ1D compreende-se como aquele que negocia um contrato padrão de ouro de 250 gramas e por isso esse determinado ativo tem sua liquidação, ou seja, pode ser adquirido tanto como físico quanto como dinheiro propriamente.

Por outro lado, os outros dois ativos, OZ2D e OZ3D são contratos fracionários e correspondem, respectivamente, aos valores de 10 gramas e 0,225 gramas de ouro. Mas apesar do que você pode pensar, estes dois não podem ser liquidados em ouro físico.

Outro modo ainda dentro da bolsa de valores, é aquele seguido pelo mercado futuro. Nele são negociados diversos tipos de ativos padronizados de derivativos o que inclui, no nosso caso, as commodities de ouro.

Logo, quem decide seguir este caminho segue uma estrada recomendada para aqueles investidores de curto ou médio prazo.

E como o primeiro tipo, os pesos do ouro seguem a mesma linha, sendo os de 0,225 gramas e 10 gramas contratos fracionários que não são liquidados em ouro físico e os de 250 gramas contratos cheios que podem ser tanto físicos quanto monetários.

Sabendo disso, uma característica que difere o mercado à vista do mercado futuro é justamente a data de vencimento, pois enquanto o mercado futuro tem vencimento mensal o mercado à vista sequer tem vencimento.  

Por fim, existem dois meios derivativos de negociar o ouro, estou falando do contrato a termo e do mercado de opções.  

No primeiro deles, assim como todo mercado derivativo possui uma negociação com preço e vencimento fixos. No entanto, dentro do mercado a termo, o portador possui o compromisso de negociar o contrato de lote padrão (OZ1).

Por outro lado, no mercado de opções o que é negociado são direitos de um lado e obrigações do outro, portanto, quem adquire a Call deste ativo tem o direito de compra e quem adquire a Put tem a obrigação de venda sobre o lote padrão (OZ1).

– Fundos de ouro

Os fundos de investimento funcionam como um “condomínio” só de investidores em que dentro dele há a reunião de diversos investidores que contribuem com um certo montante. 

E então, este capital reunido corresponde ao patrimônio do fundo, que é o valor destinado a ser aplicado no mercado financeiro por um profissional também conhecido como gestor ou então por uma instituição.

Por fim, o lucro gerado pela aplicação é distribuído entre os investidores de forma proporcional ao quanto cada um investiu.

Com isso tudo em mente, saiba que com o ativo ouro nada é diferente.

E assim como em todo fundo de investimento, o trader terá bem menos burocracias para se preocupar, afinal de contas ele contará com uma equipe de gestores especializada neste meio.

Até então, sabemos o que todos fundos de investimentos têm em comum. Mas o que diferencia os fundos de ouro dos demais?

Para começar pelo fato de que a liquidez deste ativo é alta. E mais, há muitas maneiras de se comportar com este ativo, quero dizer, há várias estratégias a serem aplicadas cada qual com sua característica específica.

Concluindo, de maneira comum, todas as formas de investir em ouro nos fundos de ouro, a rentabilidade segue a mesma linha, isso acontece quando há o fenômeno de alta rentabilidade em momentos de crise.

– Ouro físico

Na contramão dos fundos de ouro, para comprar as barras de ouro físicas vai precisar de você muita paciência dado que você terá que vencer a complexa burocracia por trás de tudo, o que acaba inviabilizando a compra de ouro físico por muitos investidores. 

A menos que o comprador deseje fazer uso pessoal do ouro que não seja comercializá-lo pode ser que seja um bom negócio.

“Quais são as outras?” Olha meu amigo capitalista quem decidir por optar por esse modo que é um dos mais antigos em investir ouro, terá que arcar com a responsabilidade de achar um lugar seguro para guardá-lo porque cá entre nós deixar barras de ouro debaixo do colchão não dá, né?

Portanto, quem não tiver um cofre de última geração em casa só vai restar uma alternativa que é deixar guardado e aí vai mais tempo da sua vida e mais dinheiro do seu bolso já que é preciso pagar uma taxa de custódia, que não costuma ser barata.

Sem contar que a sua liquidez é baixíssima porque afinal é bem fácil comprar nas instituições financeiras.

Existem diversas outras maneiras de lidar com ouro que evite TODOS esses contratempos e que sejam bem mais rentáveis. Portanto, uma dica que dou é: corre que é cilada!

6 Vantagens investir em ouro

Liquidez

Por ser reconhecido como reserva de valor mundialmente, o valor do ouro pode ser convertido facilmente na moeda em que desejar.

Custo acessível

Esta vantagem está mais ligada aos fundos de ouro já que nele há presença de contribuição monetária de diversos investidores.

Isso tudo faz com que a parcela diminua tornando o preço muito mais acessível.

Diversificação de carteira

Uma dica para o sucesso que sempre dou para investidores seja iniciante ou não é diversificar a carteira o quanto puder.

E é isto que você terá ao investir em ativos de ouro.

Auxílio profissional

Outra vantagem diretamente ligada aos fundos de ouro é, com certeza, a gestão de profissionais.

Ou seja,as chances de  rentabilidade são bem maiores!

Simplificação burocrática

Juro que é a última exclusiva do fundos de ouro, mas é claro que eu não poderia deixar de fora uma das que mais nos poupam tempo que é a simplificação burocrática.

É  por meio dela que fica mais simples investir no ouro!

Segurança meio a crises

investir-commodity

Caso haja um alto índice de queda na bolsa de valores é comum que investidores e empresas utilizem o ouro como reserva de valor.

Fazendo isso, consequentemente, a procura pelo ativo vai aumentar enquanto a bolsa cai!

Leia também: Como Investir em ações com Pouco dinheiro?

Desvantagens de investir em ouro

Volatilidade

A volatilidade do ouro não costuma ser muito grande, isso pode ser um problema para quem busca rentabilidade a curto prazo, mas é uma característica muito interessante para quem busca uma reserva de valor.

Isto está inteiramente ligado a um conceito muito famoso da economia que é a oferta e demanda que no caso ouro é mais intensa em momentos de grandes crises, causando algumas oscilações.

Renda significativa só em casos específicos

Na maior parte dos casos, quando o mercado não tem uma queda, a rentabilidade concedida pelo ativo não é tão significativa assim.

Mas apesar dessa desvantagem, ele é muito viável como ativo de hedge, afinal pode proteger seu patrimônio em momentos de crise.

Queda com a alta da bolsa

Da mesma forma que o ouro age inversamente quando a queda da bolsa, na alta da bolsa acontece o mesmo.

Portanto, se houver alta na bolsa o ativo ouro tende a desvalorizar.

[Passo a passo] Investir em ouro

Passo 1: Escolha bem a corretora

Para quem pretende iniciar a investir, escolher uma boa corretora é imprescindível, afinal é ela quem tem o papel de conectar o investidor à bolsa de valores!

Atualmente, no mercado, não faltam alternativas para escolher corretoras, portanto, escolha aquelas cujas taxas sejam mínimas ou nulas ou simplesmente aquelas que apresentam ferramentas que te agradem.   

Passo 2: Saiba identificar os ativos

Antes de tudo, para investir em ouro é preciso saber identificar o ativo, isto é, ser capaz de identificar qual é a gramatura correspondente ou a data de vencimento, por exemplo.

Para te ajudar, veja os códigos dos três principais tipos de ativos de ouro presentes na bolsa:

OZ1D: Lote padrão; 250 gramas;

OZ2D: Lote fracionário; 10 gramas;

OZ3D: Lote fracionário; 0,225 gramas.

Passo 3: Estude o mercado

Estude, estude, estude e estude mais um pouco porque afinal nunca paramos de evoluir, não é mesmo? E com o aprendizado financeiro que pode mudar sua vida completamente, com certeza não pode ser diferente.

Então primeiro entenda como funciona o mercado, aprenda seus conceitos fundamentais e específicos.

Feito isso, estude sobre as commodities de ouro e se pergunte: Quero resultados a curto ou longo prazo? Se for a curto siga o quarto passo, mas se for longo vá direto para o quinto passo.

Passo 4: Parta para o mercado futuro

Se está aqui quer dizer que você quer resultados mais rápidos, mas para tanto é preciso mais esforço do que você encontraria a longo prazo pois é só você e você especulando a queda ou a alta do ativo ouro do mercado futuro.

Portanto, este modo é mais receptivo aos investidores que possuem mais experiência no mercado variável. Se sente seguro e/ou confiante, siga ele.

Passo 5: Vá para os fundos de investimento

Agora, se está aqui você preza pela segurança e quer a todo custo a proteção de sua carteira.

Então, basta ir no home broker da sua corretora e pesquisar pelo fundo de investimento de ouro e comprá-lo!

Qual a importância de investir em ouro?

A importância principal de se investir em ouro é de longe o caráter de reserva de valor que ele possui, isto é, ele tem tendência de ser mais procurado quando há riscos de queda da bolsa.

Então ele não é nada menos do que um hedge ou proteção, que seja de seus investimentos quando houver queda da bolsa.

Leia também: Liberdade financeira: o que é e dicas para alcançá-la

Quem pode investir em ouro?

Qualquer um pode investir em ouro desde o investidor mais arisco, amador, seguro, consevador até o investidor mais experiente, especulativo, de perfil moderado e por aí vai.

Isto porque como você deve ter percebido não existe apenas uma forma de se adquirir a commodity mas sim várias que vão se encaixar como um quebra-cabeça em cada perfil de investidor.

Tributação para investimento em ouro

Basicamente, as tributações sobre o investimento de ouro são as mesmas de qualquer outro ativo.

Então, relembrando há a taxa de corretagem que é um custo operacional pago para a corretora por cada compra, sendo que pode ter valor fixo ou variável e em alguns casos pode ser nula.

Além disso, nos fundos de ouro existe a taxa de administração paga ao instituto respectivo e ela varia de instituição para instituição.

Por fim, tem o Imposto de Renda (IR) que é cobrado nos últimos dias dos meses de maio e novembro, ou seja, de seis em seis meses. Tendo porcentagem fixa de 15% sobre a valorização do ativo

Mas se por exemplo passar de um tempo aplicado acima de seis meses há a subtração da taxa de alíquota corresponde ao tempo pela taxa fixa. então se a taxa de 7 meses é de 20% a equação será a seguinte:

20%-15% = 5% a ser pago 

Aprenda mais sobre o Mercado Financeiro

Ser um Capitalista Selvagem exige dedicação e conhecimento, isso porque para que você possa tomar as melhores decisões e estar a par das melhores oportunidades que o mercado oferece, você precisa entender cada tipo de ativo.

O primeiro passo nesta jornada é sem dúvidas saber diferenciar os tipos de investimentos, criar um planejamento financeiro e entender como montar as melhores estratégias para alcançar mais rápido os seus objetivos.

Pensando em você, investidor iniciante que tem esse tipo de dúvidas, criamos o curso Capitalista Selvagem, onde você vai entender a origem do capitalismo, como os investidores mais conhecidos pensam, vai aprender sobre finanças pessoais, como definir metas para o seu dinheiro e como aumentar a sua rentabilidade ao longo do tempo.

Em 10 módulos de curso, você vai aprender em mais detalhes como criar uma carteira de investimentos segura para finalmente alcançar a sua liberdade financeira!

Saiba mais: 

Capitalista Selvagem Curso

Conclusão

Agora sabemos que ouro não é só um mero símbolo mas também que ele tem um propósito muito superior no mercado financeiro.

Sabemos também que ele pode se comportar de maneira inversa à bolsa o que traz vantagens de hedge.

Portanto, SIM vale a pena investir em se você estiver intuito de proteger a carteira.

E aí, se interessou pelo ativo? Vai investir nele? Conte-me nos comentários!

luiz fernando roxo.

adicione um comentário

siga-me

Não se acanhe! Entre em contato!