blog do luiz fernando roxo.
Início » 5 Corretoras para investir no exterior

5 Corretoras para investir no exterior

Se você já montou sua carteira na B3, talvez queira se aventurar e expandir seus investimentos para fora do Brasil.

Conheça aqui as melhores corretoras para investir no exterior e entenda o passo a passo para você rentabilizar os seus investimentos. 

Cada vez mais brasileiros têm se aventurado fazendo negociações no mercado exterior, seja pela maior proteção que as negociações em dólar oferecem, seja pelas oportunidades mais interessantes que existem apenas no mercado internacional. 

Segundo a B3, o número de investidores pessoa física na bolsa de valores brasileira mais do que triplicou de 2018 para cá. 

E agora, esses investidores estão começando a migrar seus investimentos para fora do país, buscando o que muitas vezes não encontram no nosso mercado. 

No entanto, muitos investidores ainda se perguntam se abrir conta em uma corretora no exterior é algo no alcance deles.

Afinal, creem que apenas milionários conseguem pagar os valores em dólar exigidos por esses investimentos. 

Apesar de ser verdade que os investimentos internacionais são voltados para investidores mais qualificados.

Além disso, existe a possibilidade de começar a investir com apenas um dólar em ações no exterior.

E é normal ter um pouco de receio quando se trata de coisas novas, porém saiba que existem formas de investir no exterior que são infinitamente mais simples e rápidas do que investimentos regulares na B3. 

Sendo assim, vamos falar agora sobre porquê de o exterior ser uma boa opção para qualquer investidor, o que pode qualificar ou não, basta você estar preparado para subir de patamar nos investimentos. 

Vantagens de ter conta em uma corretora no exterior

A maior vantagem de investir no mercado exterior é que você poderá ter operações com uma rentabilidade muito maior do que no Brasil, muito disso se dá pelos ganhos serem contabilizados em dólar, a moeda mais valorizada do mundo.

Então, se você já investe no Brasil e agora está querendo expandir a sua carteira para o mercado exterior.

Por isso veja os 4 motivos a seguir, que com certeza vão te dar mais motivos para começar o quanto antes a sua liberdade financeira:

1 – Diversificação de Investimentos

Existem muitas possibilidades de investimentos que são literalmente impossíveis de conseguir negociar utilizando apenas nosso mercado de ações nacional. 

Ao investir seu dinheiro no exterior você tem acesso a todos os mercados de ação do mundo.

Podendo investir seu capital em oportunidades de diversos setores e magnitudes.

Além de poder diversificar seu investimento em produtos não acessíveis ao mercado de ações brasileiro, você também tem a oportunidade de adquirir ações de gigantes multinacionais, como a Apple ou Coca-Cola. 

Gigantes que não parecem estar nem um pouco perto de dar prejuízo tão cedo para seus sócios. 

2 – Ativos com muito mais liquidez

Ao investir no exterior, você terá acesso às maiores empresas do mercado mundial com ações muito mais líquidas do que empresas apenas brasileiras.

Essa liquidez se dá pela quantidade de investidores nos mercados internacionais e nas grandes economias, que são muito maiores que no Brasil.

As oportunidades de negócios, e até mesmo realização de algum trade, se tornam muito mais acessíveis.

Operar em uma bolsa como a dos EUA abre possibilidades para várias modalidades de investimento. 

Um mercado mais maduro tende a ser mais estável e resistente a ruídos, que por sinal, vemos aos montes aqui no Brasil.  

Em uma carteira Barbell é até aconselhável alocar capital em ações de países emergentes, assim como o Brasil por exemplo, mas uma parte de suas ações também devem estar atreladas a economias mais estáveis e maiores.

  • Leia mais: Veja quais são as Opções mais líquidas

3 – Redução de riscos

Por fim, com uma carteira devidamente balanceada, o resultado dos riscos de perder dinheiro com suas negociações são reduzidos. 

Isso ocorre porque em primeiro lugar em caso de crises nacionais, mesmo que haja inflação e o real desvalorize, os seus investimentos externos lhe oferecerão ganhos proporcionais. 

Em segundo lugar, por mais que a situação esteja um pouco complicada no país, você terá motivos para comemorar aquele seu investimento no exterior.

Lembrando, que isso vai depender da crise que estiver passando, se a crise for internacional o seu dinheiro será prejudicado. Agora se for uma crise interna provavelmente o seu dinheiro fora se valorizará. 

4 – Balanceamento da carteira

Uma das principais estratégias para balanceamento da carteira, é o que eu chamo de balanceamento dinâmico, uma parte da Estratégia Barbell e que vale muito a pena que você se dedique em aprender, afinal é um dos modos mais eficazes de tornar-se convexo em seus investimentos.

Se você já me segue nas redes sociais, sabe que eu sempre bato na mesma tecla de que é preciso estar sempre convexo e antifrágil em seus investimentos, isso significa que, você deve sempre montar payoffs em que você tenha a possibilidade de ganhar em qualquer cenário.

Seja quando o ativo está se valorizando muito ou quando compra um seguro de carteira e não se preocupa quando o ativo está se desvalorizando muito.

Digamos que você tenha definido pela Estratégia Barbell que a sua proporção ideal de investimento é de 80% em renda fixa e 20% em renda variável.

Então, sempre que sua participação na renda variável subir muito, você deve descascar (isto é, fazer pequenas saídas em suas operações), para que não saia do planejamento inicial da proporção estabelecida.

A manobra de “descasque”, por sua vez, nada mais é do que vender um tipo de ativo para comprar outro com perfil de risco diferente, neste caso, você vende parte da sua ação (por exemplo) e compra um pouco mais de ativos de renda fixa.

Com acesso a mais ativos de qualidade, suas possibilidades ficam muito mais poderosas e interessantes, uma vez que não terá mais nenhuma restrição quanto ao acesso de ativos.

Melhores corretoras para investir no exterior

Sabemos o quanto é difícil escolher uma corretora do exterior, principalmente, porque às vezes o atendimento não está disponível em português e as taxas cobradas ficam escondidas.

No entanto, para te ajudar nesta missão, listamos as 5 melhores corretoras para investir no exterior e que são as mais usadas pelos brasileiros e pela Comunidade Capitalista Selvagem. 

1 – Interactive Brokers

Uma das corretoras mais tradicionais presente no mercado americano, a Interactive Brokers foi fundada em 1970 e é uma das maiores corretoras para investir no exterior, garantindo solidez e segurança aos seus investidores. 

Além de toda essa segurança, também é uma opção bem diversificada, oferecendo acesso à mercados internacionais em mais de 33 países.

2 – Avenue

A Avenue Corretora americana foi criada especificamente para atender brasileiros, tendo confiança e transparência como suas maiores vantagens. 

Recentemente essa corretora inaugurou um programa de taxa zero de corretagem, o que pode ser bem interessante para investidores iniciantes. 

Outra grande vantagem é que, como já foi dito, a corretora tem em mente a clientela brasileira como público alvo. Portanto todo o seu conteúdo é traduzido para o português, o que facilita sua utilização até mesmo por pessoas que não sabem inglês. 

Por fim, também é fácil realizar transações monetárias com essa empresa, uma vez que ela oferece formas bem acessíveis de transferência, como o próprio TED bancário. 

Porém, vale ressaltar a importância de ter cuidado com a taxa de spread (variação entre câmbios) cobrada por eles.

3 – TD Ameritrade

A Ameritrade não cobra taxas de corretagem de seus clientes, seja para ações ou para ETFs. 

Apesar de sua plataforma ser totalmente em inglês, essa é uma das melhores e mais completas plataformas no mercado atualmente, e a ausência dessas taxas a torna ainda mais interessante para o investidor de menor porte.

4 – Passfolio

Passafolio é uma startup que facilita o acesso ao mercado de ações americano no exterior, contando com uma lista de 170 países atendidos atualmente. 

Porém, devido ao seu lançamento relativamente recente e pouco tempo no mercado, ainda não é uma startup que inspira muita confiança em seus investidores. 

No caso dessa corretora, todas as transações são realizadas exclusivamente por seu aplicativo no smartphone, o que facilita bastante a vida do investidor moderno. 

Da mesma forma, o cadastro inicial para começar suas transações é bem simples e não necessita de tantos documentos enviados para a empresa.

Por fim, ela também não cobra taxas de comissão, sendo possível começar a investir com valores a partir de um dólar.

5 – Stake

Esta é uma corretora australiana que lançou o seu aplicativo no Brasil também recentemente. 

A Stake também conta com um programa de parceria com a DriveWealth (plataforma de funcionamento da Avenue), além de contar com proteções de conta de até 500.000 dólares. 

Esta corretora conta com planos “premium” em seu repertório, oferecendo vantagens aos seus assinantes, como acesso imediato ao dinheiro de venda de ações. Esse modelo de negócio exime investidores menos ávidos de taxas de comissão, o que se torna uma vitória para todos.

Como investir no exterior?

Veja passo a passo como começar a diversificar seus investimentos para além da B3. 

1) Escolha a sua corretora no exterior

Ao decidir qual corretora irá administrar seu dinheiro lá fora, é importante considerar alguns fatores antes de tomar uma decisão.

Em primeiro lugar, você deve verificar a situação legal da instituição, verificando se ela encontra-se registrada e autorizada a realizar transações. 

Os órgãos que administram essas questões são a FINRA (Financial Industry Regulatory Authority), onde a corretora deve ter registro, e a SEC (Securities and Exchange Commission), o órgão de fiscalização monetária do mercado americano.

Depois, você deve conferir se a corretora de seu interesse permite a participação de não-residentes em suas negociações. 

Infelizmente nem todas as corretoras aceitam conduzir operações para pessoas fora do país. 

Então esta é obviamente uma questão importante ao considerar qual corretora escolher.

Por fim, você deve analisar as taxas e valores que cada corretora cobra, uma vez que esses números podem variar bastante entre corretoras e dependendo do volume das transações que você deseja realizar.

Além de existirem diversos custos extras como taxas de manutenção, comissões, taxas de resgate, entre outros. 

Vale lembrar que nem sempre a opção mais barata é a melhor, então é indicado que você compare bem os custos e benefícios que cada uma oferece antes de tomar sua decisão.

2) Abrir a sua conta na corretora escolhida

Via de regra, é possível realizar a abertura de conta pela internet, e as corretoras simplificam todo o processo o máximo possível para facilitar a nossa vida. 

O investidor preenche um cadastro com seus dados pessoais e pode até mesmo ser necessário o preenchimento de um pequeno questionário para definir qual o perfil de investidor deste cliente.

3) Envie os formulários e documentos pedidos

Após o preenchimento do cadastro, é necessário o envio de seus documentos para que os seus dados possam ser conferidos pela corretora.

No geral é possível escanear os documentos e mandá-los por e-mail. 

Os documentos necessários podem variar entre corretoras, porém é seguro afirmar que é necessário pelo menos:

  • Cópia do Passaporte
  • Comprovante de residência;
  • Declaração do Imposto de Renda;
  • Contrato de abertura de conta com a corretora em questão;

Formulário W-8BEN preenchido. Este formulário é necessário para indicar que um brasileiro não-residente tem interesse em realizar investimentos nos EUA.

4) Transfira o dinheiro para a sua conta na corretora

Após ter os documentos conferidos pela corretora, você receberá o número de sua conta e a senha do home broker.

Porém, antes de começar a negociar você precisa transferir seu dinheiro para a conta bancária de sua corretora. 

Sendo assim, você precisa se preparar para realizar uma transação, para uma casa de câmbio, o que normalmente custa um pouco mais do que uma transação regular, além de estar sujeito à taxação de IOF cobrado pelo governo.

Ou você pode optar por usar uma plataforma de transferências internacionais como a Remessa Online, e para ter um desconto na transferência do seu dinheiro, você pode usar o cupom roxousa.

Da mesma forma, quando você desejar repatriar esse capital, todas essas taxas serão cobradas novamente, além de você como investidor também precisa declarar os impostos relativos à seus ganhos no exterior.

Quais são as taxas cobradas por corretoras internacionais?

As taxas cobradas sobre transações internacionais variam bastante de corretora para corretora, mas em geral existem algumas taxas que são padronizadas entre elas. São as mais comuns:

Taxa de abertura de conta

Apesar de possível, muitas corretoras decidem não cobrar taxas de abertura de conta, de forma a manter sua compatibilidade no mercado.

Taxa de custódia

Da mesma forma, a taxa de custódia é muitas vezes ignorada pelas corretoras, apesar de ainda serem cobradas em algumas.

Transferências entre contas de mesmo titular

Seja aplicação ou resgate de investimentos, é possível que a corretora cobre taxas sobre essas transações, mas como nos anteriores, essa taxa é opcional e desconsiderada por muitas corretoras.

Aplicações em títulos públicos

Cerca de 0,25% sobre o valor do investimento ao ano, mas zero em algumas agências.

Fundos de investimento

Cerca de 0,5% ao ano por administração, mais 20% sobre o desempenho, porém zero em algumas agências.

Negociação de ações

As taxas variam bastante entre agências, e também variam com o day-trade. As taxas podem chegar a valores tão baixos quanto R$0,50 por ordem, e tão altos quanto R$20,00 (desconsiderando as taxas cobradas pela B3). 

Nessas ocasiões normalmente o day-trade é o mais barato, e via de regra, quanto mais ordens você realiza no mesmo dia, mais barato é o valor individual da ordem.

Aplicações

Sejam em ordens imobiliárias ou ETFs, essas taxas variam conforme a agência e o volume negociado, assim como as negociações de ações. 

Porém, certas corretoras escolheram zerar as taxas sobre esses produtos, então pode valer a pena pesquisar um pouco caso esses sejam investimentos de seu interesse.

Principais bolsas de valores para investir no exterior

Se você deseja começar a investir no exterior, precisa conhecer as principais bolsas de valores do mundo. Listas as maiores aqui: 

1 – NASDAQ

A NASDAQ (NASDAQ STOCK MARKET) é uma das bolsas de valores dos Estados Unidos.

Tem quase 3 mil ações listadas e, em geral, é o ponto de partida para brasileiros que desejam investir no exterior.

Em termos de tamanho, é a segunda maior bolsa de valores do mundo, ficando atrás apenas da Bolsa de Nova Iorque. 

2 – Tokyo Stock Exchange

A Bolsa de Tokyo (Tokyo Stock Exchange) é a quarta maior bolsa do mundo, com uma capitalização de mercado de aproximadamente 5,6 trilhões de dólares e um volume de cerca de 481 bilhões de dólares em negociações. 

3 – Shangai Stock Exchange

Também conhecida como SSE, a Shangai Stock Exchange é uma das mais recentes entre as principais bolsas de valores do mundo. Foi fundada em 1990 e é governada de forma direta pela China Securities Regulatory Commission (CSRC). 

Com o impressionante crescimento do mercado Chinês, a SSE teve um rápido crescimento até se tornar hoje em dia a 3ª maior bolsa do mundo, ficando atrás apenas das norte-americanas.

A Bolsa de Shangai já tem uma capitalização de mais de 6 trilhões de dólares.

4 – Euronext

A Euronext é a maior bolsa de valores da Europa, tendo uma capitalização de mercado de 4,41 trilhões de dólares e 174 bilhões de volume mensal negociado.

Essa é uma bolsa de múltiplos países, tendo sede em Amsterdam, porém com negociação de ações também em Bruxelas, Paris, Lisboa e Dublin.

Em 2007 a Euronext se fundiu com a NYSE, sendo subsequentemente comprada em 2012 pela Intercontinental Exchange (ICE), uma bolsa de commodities de energia que até hoje é a dona da NYSE. 

5 – London Stock Exchange

A Bolsa de Valores de Londres é a principal da Inglaterra e do Reino Unido. Fundada oficialmente em 1801 e com muita história pra contar.

Certamente uma das maiores bolsas de valores do mundo e na qual é necessário muita atenção para compreender o sobe de desce global de preços.

6- Toronto Stock Exchange

A Toronto Stock Exchange (TSE) é a maior bolsa de valores do Canadá e uma das principais bolsas de valores do mundo. No continente americano, é a 3ª maior. Anualmente, a movimentação é de mais de 2 trilhões de dólares.

Dicas para quem quer investir no exterior

Planejamento é tudo

Antes de começar, tente definir qual fatia de seu patrimônio você quer que seja investida no exterior, e para que fim? 

É possível que você se deixe levar pelo efeito manada e faça más escolhas. Mantenha-se fiel aos seus objetivos e você evitará cair nessas armadilhas.

Tenha uma reserva de emergência

Essa é uma dica clássica para qualquer investimento, mas que deve ser redobrada (ou mais que quintuplicada, nesse caso) para a realização de investimentos no exterior. 

Você está investindo em dólares mas gastando em reais, então pense bem nos valores que você necessita para realizar as transações e faça seu planejamento de acordo com o que sua carteira permite.

Escolha a corretora que mais se adequa a seu estilo

Entre as corretoras que citamos, cada uma tem suas vantagens e desvantagens, adequadas para tipos diferentes de investidores. 

Estude bem todas elas e escolha a que mais se encaixa em seu estilo de investimento, seja você mais agressivo, contido ou balanceado. 

Escolher a corretora errada é um péssimo primeiro passo para seus investimentos, mas mesmo assim, não tenha medo de migrar de corretoras se achar necessário.

Conclusão

Se você busca uma corretora para investir no exterior, é preciso levar em conta alguns fatores, como confiabilidade, atendimento no seu idioma e as taxas cobradas. 

Com relação às taxas, se forem muito altas, poderão minar todo o investimento realizado. 

Além de toda a cautela exigida, investir por meio de uma corretora no exterior pode vir a ser uma opção mais segura e lucrativa para investidores que desejam se livrar dos riscos que investimentos apenas em território nacional trazem.

Está ficando cada vez mais acessível e interessante realizar esses investimentos no exterior, e com as diminuições de taxas e comprovada segurança superior à investimentos brasileiros.

Investir no exterior em breve se tornará uma opção viável até mesmo para os investidores mais inexperientes.

Mas como em qualquer investimento, é importante estudar e ver qual ativo mais se adequa a seu perfil de investidor, então estude bastante antes de começar.

Leia mais: 

luiz fernando roxo.

luiz fernando roxo.

adicione um comentário

siga-me

Não se acanhe! Entre em contato!