blog do luiz fernando roxo.
operar opções estruturadas
Início » Operações estruturadas: o que são, tipos e como investir

Operações estruturadas: o que são, tipos e como investir

Basicamente, são consideradas operações estruturadas aquelas que não utilizam apenas um ativo, mas sim a combinação de dois ou mais ativos.

E esta combinação de mais de um ativo ou “mix” como quiser chamar, promove a possibilidade de diversas maneiras de se abordar o mercado financeiro.

Maneiras estas que podem se aproximar do sonho de qualquer investidor por aí, que é uma operação que consiga uma alta rentabilidade, com diversificação e com o “plus” de ter o risco baixo!

Mas para que tudo isso seja possível é necessário muita dedicação, afinal estamos falando de uma ferramenta que une diversos tipos de ativos como os de renda fixa, variável, sendo o mais comum deles as Opções, que é um mercado que necessita de seu usuário cuidado.

É bem interessante, mesmo que precise de aperfeiçoamento caso haja o domínio das operações estruturadas, o investidor terá uma alta rentabilização rentabilidade!  

Quer saber mais, capitalista? Então venha comigo e aprenda mais sobre estas operações estruturadas!

O que são operações estruturadas?

As operações estruturadas são operações que utilizam de dois ou mais ativos para fazer a operação.

E estão se destacando no mundo dos investimentos e não é sem motivo porque se trata de uma ferramenta que possibilita a realização de novas e vantajosas abordagens para o mercado.

E nessas diversas novas formas de abordar, as operações estruturadas podem proporcionar no melhor dos casos ao investidor formas de alta rentabilização, diversificação e menor risco. 

Além disso, é importante mencionar que quando se trata de operações estruturadas existem duas vias que o investidor pode escolher para fazer são elas: a primeira é pelo COE (Certificado de Operações Estruturadas) e a outra diretamente pelas Opções. 

Quais as principais características das operações estruturadas?

Quando se fala em operações estruturadas, três características se destacam, são elas: flexibilidade, diversificação e o direcionamento.

A primeira delas, a flexibilidade permite a personalização de escolhas de acordo com as tolerâncias do trader ao longo do processo das operações estruturadas. 

Já a diversificação é citada porque engloba diversos ativos e  mercados de todos os tipos, seja ele de renda fixa, ou seja de renda variável, possibilitando inúmeras maneiras de se aproveitar o mercado. 

Enfim, o direcionamento é a característica que concede justamente a nossa direção enquanto investidor de operações estruturadas, ou seja, é por meio dele que sabemos, (em alguns casos) o desfecho prévio da operação. Assim, traz a possibilidade de ganhar em qualquer direção do mercado. 

Dessa forma, a diversificação, a flexibilidade e o direcionamento andam lado a lado formando mutuamente um ambiente favorável ao investidor!

Tipos de operações estruturadas com opções

Em reflexo há uma quantidade diversa de mercados que as operações estruturadas apresentam, teremos mais tipos ainda de abordagens e estratégias com este instrumento.

Mas, eu vou apresentar pra você as principais operações estruturadas com Opções:

Certificado de Operações Estruturadas (COE)

Apesar do Certificado de Operações Estruturadas não ser conhecido por ser do mercado de opções, ele pode transitar nele porque, na verdade se trata de um veículo para investimentos de ações, renda fixa e opções, por exemplo.

E o COE não é nada mais do que um tipo de operação estruturada ofertada pelos bancos inspirada nas Notas Estruturadas muito comum nos EUA e na Europa.

Mas o que ele faz? Bom, o COE une a renda variável com a renda fixa. 

Logo, se, por exemplo, o investidor comprar um COE com a finalidade de proteger o dinheiro que foi investido, mesmo que na renda variável haja um declínio a renda fixa compensará o prejuízo.

Então imagine só, capitalista, se houver aumento de patrimônio na renda variável.

Mas não acabou, porque existe uma espécie de documento que tem como função permitir uma visualização prévia de como a operação ocorrerá, trazendo informações como o vencimento, cenário de lucro e prejuízo etc. 

É o chamado documento de informações essenciais ou DIE.

Ainda, no mercado foi convencionado que existem dois tipos de COE ‘s, o valor nominal em risco e o valor nominal protegido que, respectivamente, querem dizer um investimento com lucro ilimitado, mas com riscos de perda do que foi investido e um com proteção de capital.

E apesar de evitar sinistros, o segundo tipo tem um pequeno revés, que é um teto de lucro, ou seja, ganhos limitados.

Mas, esses benefícios todos podem ter um gosto meio amargo uma vez são cobradas taxas como, por exemplo, Imposto de Renda no estilo tabela regressiva e em alguns casos existem corretoras que cobram taxa de corretagem ou taxa de custódia. 

Para finalizar falemos dos riscos. Bom além do caso que já sabemos do valor nominal de risco, existe a chance de hipoteticamente o banco quebrar e mesmo no estilo protegido não terá segurança garantida. 

Por existirem esses riscos que podem ser evitados montando as minhas próprias estratégias, prefiro não utilizar o COE.

Trava alta de débito ou de calls

Partindo agora para operações estruturadas essencialmente das Opções, partiu conhecer a trava de alta uma estratégia de dois ativos e por isso considerada simples. Minha favorita, inclusive. 

A trava de alta com call é basicamente uma estratégia do tipo estruturada com viés de alta e que limita possíveis perdas.

Nela atuam dois ativos, que são duas opções de compra ou Call ‘s em que a diferença é de que uma será comprada e está com strike no dinheiro e a outra com strike fora do dinheiro será vendida.

Mas para que ocorra como esperado é preciso que ambas tenham a mesma data de vencimento, seja o mesmo ativo e principalmente, a expectativa de alta.

Dessa forma, mesmo que expectativa não se concretize, a trava minimiza o prejuízo por conta da diferença entre a call comprada e a call vendida.

Trava baixa de débito ou de put

A trava de baixa com put é uma operação estruturada que tem similaridades com a trava de alta por parte da limitação de perdas e com as mesmas exigências de vencimento e tipo de ativo. Mas na prática funciona de forma inversa.

Sendo assim, seu viés é de baixa. E assim como na outra, em que atuam dois ativos de Call,  neste caso usa-se  Put.

o operador que deseja fazer esta operação deve vender uma put com preço de strike menor do que o do mercado à vista e comprar uma outra put com preço de strike maior.

Borboleta

Agora, a estratégia borboleta já é bem mais avançada, utilizando de três ativos, então cuidado! Pratique bastante antes de usar ela efetivamente.

Nesta estratégia o lucro é gerado quando o mercado está estático, ou seja, com volatilidade mínima. 

E então é selecionada uma faixa ou conhecida também como Break-even e quanto mais longe da faixa estiver maior o prejuízo, porém quanto mais ao centro maior o lucro.

Para se criar esta faixa é preciso que o investidor faça as seguintes operações: primeiro uma opção com preço de exercício alto e outro baixo e com um terceiro com valor de exercício resultado da média do valor de exercício dos outros dois.

Straddle

Em contrapartida à estratégia borboleta, a operação estruturada conhecida como Straddle lucra quanto mais volátil estiver o mercado. 

Então você interessado procure realizá-la antes de eventos importantes, pois o aumento da volatilidade vai te gerar ganhos

E quem deseja aplicar esta estratégia terá que comprar uma opção de Call e outra de Put, ambas devem ter mesma data de vencimento, de quantia, de valor de Strike e se do mesmo ativo-objeto.

Aí o que acontece é o seguinte: enquanto o mercado estiver em alta a Call gera lucro e Put vira pó, e por outro quando estiver em baixa a Put gera lucro e a Call vira pó.

Então, se trata de operação estrutura que ganha tanto na alta quanto na baixa além de lucros infinitos e perda limitada pelo valor gasto se o ativo ficar estático.

Lançamento de Opções

Existem duas maneiras de lançar opções, que são lançamento coberto e descoberto, dois lados de uma mesma moeda.

Já adianto a vocês que a venda descoberta é uma areia movediça pelo simples motivo de que há muito mais riscos do que chances de lucro.

Na venda descoberta com viés de baixa, caso haja alta acarretará em prejuízo. 

Isso é um perigo e eu já vi muita gente falir da noite pro dia. 

E também existe outra forma de perdas que é quando o lançador é exercido, já que na a descoberto o operador tem o ativo objeto alugado então se for exercido vai ter a obrigação de comprar o papel ao preço que ele estiver no momento, podendo acarretar prejuízos ilimitados.

Mas, por outro lado, temos a venda coberta que tem esse nome porque o lançador da opção tem em sua carteira a ação da qual deriva, ou o dinheiro para cobrir a operação no caso de uma venda de put.

E então, para gerar lucro é posto um valor de strike acima do valor pago na ação, gerando lucro se for exercida. 

Mas, mesmo que não seja exercida, terá um dinheiro vindo do prêmio recebido!

Rolagem

Por fim a rolagem, que acontece quando o investidor está confiante com sua operação e acredita que terá mais lucro futuramente e por isso prolonga para o próximo vencimento.

E isto possibilita que ajustes sejam feitos!

Entenda como funciona uma operação estruturada

O funcionamento de uma operação estruturada como visto anteriormente pode ser feita tanto pelo COE quanto individualmente pelas opções.

Caso decida ir pelo COE será emitido para você um DIE, um documento de informações essenciais que te auxiliará em sua jornada. 

Mas caso escolha o outro lado da bifurcação terão diversas estratégias muito rentáveis, mas que são mais complexas e que, portanto, precisará mais de sua atenção. 

Quais as vantagens das operações estruturadas?

Se eu fosse listar as vantagens de operações estruturadas eu escreveria algo equivalente a uma bíblia, por isso vou me restringir a 5 deles. 

Mas lembre-se que o que tem de vantajoso também tem de complexo!

  1. Limitar o risco:  no mercado de opções existem maneiras de diminuir substancialmente os riscos.
  2. Diversificar a carteira: Primeiro que você já começa diversificando quando se utiliza mais de um ativo e, segundo que existem muitas estratégias nesta ferramenta que aumenta ainda mais a possibilidade de diversificação.
  3.  Proteção: Existem muitas estratégias das operações estruturadas que tem a finalidade de proteger seu patrimônio, um exemplo, straddle, estratégia do pozinho. 
  4. Lucro de diversas forma: Se você prestou atenção percebeu que dependendo da abordagem é possível lucrar tanto com a volatilidade do mercado quanto com a estaticidade dele  
  5. Taxas de corretagens nulas: Essa é mais uma dica do que uma vantagem, então preste atenção! Há um leque enorme de corretoras por aí cada qual com suas peculiaridade inclusive aquelas com taxas mínimas ou nulas então aproveite elas

Para qual perfil esse pode ser um bom investimento?

Por se tratar de uma junção de diversos mercados financeiros ele não é recomendado para qualquer investidor, já que é preciso muito conhecimento prévio de cada mercado que for fazer operações estruturadas.

Ainda é preciso conhecer os riscos, sabendo qual você aceitaria correr.

Portanto, este investimento é ideal para perfis moderados à agressivos, que prezam pela segurança mas ainda investem na renda variável, ou arrojados, que prezam pela alta rentabilização.

Como investir em operações estruturadas?

Primeiro de tudo, quem está interessado em como investir em operações estruturadas deve abrir uma conta numa corretora que, preferencialmente, se encaixe no seu perfil de investidor e que não tenha taxas de corretagem.

Feito isso, parta direto para operações estruturadas com opções.

Conclusão

como operar opções na xp

Depois dessa longa caminhada desbravando tudo sobre as operações estruturadas, chegou a hora de olhar de forma conclusiva para o tema.

Provavelmente vocês devem estar se perguntando “Mas Roxo, vale realmente a pena investir nesses tipos de operações?” E minha resposta é sim, mas um “sim” para aqueles investidores que são mais experientes e conhecem os riscos do mercado variável.

Mas, o interessante é que a complexidade dessas operações andam em pé de igualdades com as múltiplas vantagens que ele apresenta.

Então você iniciante, recomendo que estude até com nossos outros artigos para dominar esta vantajosa ferramenta! 

luiz fernando roxo.

adicione um comentário

siga-me

Não se acanhe! Entre em contato!