blog do luiz fernando roxo.
venda coberta
Início » Venda coberta: o que é, como funciona e os riscos

Venda coberta: o que é, como funciona e os riscos

A venda coberta é uma estratégia do mercado de renda variável, mais especificamente do mercado de opções que propõe aos traders uma rentabilidade superior à renda fixa.

Além disso, ainda tem o adicional de ser mais pé no chão, por assim dizer, porque o  investidor não é exposto a riscos ilimitados.

Ou seja, a venda coberta é justamente um caminho para aqueles investidores que têm receio de entrar no mercado financeiro de opções para que finalmente tirem as rodinhas de suas bicicletas e entrem de cabeça nesse mercado rentável. 

Mas, lembre-se para que tudo ocorra como planejado, assim como muitas coisas na vida,é preciso dedicação, empenho e principalmente, aperfeiçoamento. 

Portanto, capitalistas, tenham a garantia de que tudo que aprendeu sobre venda coberta esteja realmente fixado em suas mentes, pois o mercado de opções como todo mundo deve saber, tem sua fama de ser um cemitério de malandro.  

Mas a complexidade não se resume à fama, as opções quando mal utilizadas podem sim ser um cemitério de malandro, mas o que eu posso garantir é a sua complexidade que de fato existe. 

Porém, não é nada que com aperfeiçoamento ou com artigos como este não se torne mais acessível a todos e diminua os riscos existentes. 

Dessa maneira, vamos nos aprofundar sobre a venda coberta. Descobrir o que é, qual a diferença entre a venda coberta e descoberta, como funciona, os seus tipos ( call e put), vantagens, riscos e muito mais!

O que é venda coberta de opções?

A venda coberta de opções é uma opção de abordagem no mercado de opções, que para ser entendida totalmente é preciso primeiramente, um resumo de como o mercado de opções funciona.

Tendo isso em mente, no mercado de opções o que é negociado são direitos, seja ele de compra (call), seja ele de venda (put) sobre as ações ou outros ativos financeiros. Isso tudo com negociações pré-determinadas de preço (strike) e prazo.

Sabendo disso, outro ponto importante a ser citado é que quem compra opções não possui o que chamamos de obrigação, mas sim o direito, seguindo esse raciocínio, o comprador terá a opção de ceder o contrato, isso é claro se for vantajoso para ele.

Logo, o lançamento coberto ou também conhecido como financiamento é uma alternativa de lucrar com as ações que o operador já tem na carteira vendendo elas como opção com um valor de strike acima do que foi comprado.

Sendo uma forma de rentabilização acima da renda fixa e com a vantagem de não expor o operador a riscos ilimitados.

Qual a diferença entre venda coberta e descoberta?

As diferenças entre a venda coberta e a venda descoberta estão ligadas tanto na posse do ativo original quanto nos seus riscos.

Primeiramente, a principal diferença entre as duas abordagens é sem dúvida alguma referente à posse do ativo original. 

Enquanto na venda coberta é feita a venda da opção da qual ele tem ação original no seu portfólio como garantia, a venda descoberta te deixa com a obrigação de comprar o papel ao preço que estiver, caso seja exercido.

E é aí que mora o perigo porque se for exercido, o lançador terá a obrigação de comprar as ações pelo o preço que estiver sendo oferecido, podendo, dessa forma, ter algum tipo de prejuízo na carteira. Fique atento aos perigos do mercado.

Como funciona a venda coberta de opções?

Primeiramente, o operador que deseja fazer a venda coberta precisa ter em sua carteira as ações, porque são justamente estas ações que são importantes para que se possa fazer a essência da estratégia, que no caso é a venda coberta de opções de call sobre essas ações que o operador possui.

Em seguida, o lançador, que é aquele do núcleo de negociação que tem alguma obrigação, colocará um preço de venda no contrato maior ao do que ele comprou, o que gerará um lucro quando o contrato for exercido.

E caso não seja exercida, não pense que acarretará em prejuízo, porque mesmo com lucro não vindo daquela maneira, o lançador ainda terá o valor da taxa do Prêmio, que é uma quantia de garantia do contrato. 

Venda coberta de call

A venda coberta de call é uma das alternativas para fazer venda coberta. Para ficar mais didático e fácil o entendimento dessa possibilidade, preste atenção no exemplo prático a seguir:

Assumindo que você (operador) tenha adquirido 100 ações da empresa LFR que custam R$10,00 cada uma. O que reflete à um valor total de aquisição de R$1.000,00.

Dessa forma, você poderá lançar essas mesmas 100 ações no mercado de opções como por exemplo, através de calls, dando consequentemente o direito de outro investidor comprá-las e a sua obrigação de vendê-las caso o outro investidor deseje.

Mas com a obrigação vem de quebra o valor do Prêmio que em outras palavras é o valor recebido pela venda das opções. 

Sendo assim, você poderá por um valor para as opções de mais ou menos R$0,50 cada e com valor das ações com preço de exercício (strike) de R$15,00 cada e prazo de vencimento pré estabelecido. (valores ilustrativos)

A partir daí terão duas vertentes que serão detalhadas a seguir:

A primeira delas é a de que haja o exercício por parte do outro investidor do direito de compra na data do vencimento das opções

Mas, fique bem claro que isso só acontecerá caso o preço no mercado à vista da ação seja maior do que o preço de exercício ou strike, porque só assim este outro investidor também gerará lucro em sua carteira ao adquirir essas ações.

Portanto, vamos supor que a ação LFR no mercado à vista tenha valorizado e agora o seu valor é de R$20,00. Nesse caso, tanto o lançador quanto o proprietário terão lucro.

Exemplo de venda de call 

Fazendo as contas isso ocorre:

Em caso de exercício

 Lançador: Paga ao todo R$1.000,00. Mas recebeu no total o valor do strike das 100 ações que custam R$15,00 que no total resulta em R$1.500,00 com o adendo de 100 vezes R$0,50 (o valor do Prêmio) resultando em R$50,00 que somado aos R$1.500,00 converte-se em R$1.550,00.

Aí então subtrai por R$1.000,00 e totaliza um lucro de 55% , ou seja, R$550,00, isso sendo otimista com os valores. 

Proprietário: Gasta ao todo R$15,00 do valor de strike vezes 100 (a quantidade de ações que comprou) resultando em R$1.500,00 somado a isto R$0,50 (o valor do Prêmio) vezes 100 que dará R$1.550,00 gastos. Mas caso o mercado continue subindo ele vende no mercado à vista as 100 ações que lá valem R$20,00 (por exemplo) adquirindo R$2.000,00.

E então depois subtraindo o que ele conquistou R$2.000,00 com que ele gastou R$1.550,00 dá no final R$450,00, ou melhor, um lucro de aproximadamente 30%.

Já a segunda vertente é aquela na qual a ação fica menor do que o valor de strike, isto é, vira pó. Nessa situação, temos o seguinte cenário:

Lançador: Gerará lucro. Já que terá o valor do Prêmio de R$50,00 em seu bolso.

Proprietário: Terá prejuízo. Uma vez que não irá exercer a opção, deixando ela virar pó, pois pagou o Prêmio no valor de R$50,00. 

Venda coberta de put

Veja como ela funciona a seguir: Na contramão do que é a call, a put tem como característica o direito de venda e a obrigação de compra.

Utilizando dessa afirmação na venda coberta de put você precisa  ter como garantia da operação o dinheiro necessário para ficar com o papel em caso de exercício.

Nesse sentido, o lançador que é você terá a obrigação de no dia do vencimento comprar as ações do titular, que tem o direito de venda e que vai pagar um valor de prêmio para cada opção

Então, vamos supor que foram compradas 100 opções e que cada opção LFRT esteja valendo R$0,50, portanto, se essa opção virar pó, o lançador terá R$50,00 na conta. 

Em caso de exercício iria ter que comprar 100 ações LFR do contrato feito com o outro investidor que, por exemplo, custa um valor de strike R$25,00 por consequência foram gastos R$2.450 que é o valor pago pelas ações menos o valor recebido de prêmio.

Mas, como benefício, ele poderia à título de exemplo fazer venda coberta de call com essas novas ações adquiridas e render como financiamento.

Venda coberta de opções vale a pena?

Depende do seu perfil de investidor, pois pela teoria parece convincente mas para o leitor menos atento, deu para perceber que nem tudo são flores quando se trata de venda coberta.

De fato, como vimos ao decorrer do artigo são citadas diversas vantagens de se aplicar a metodologia da venda coberta. Mas o que realmente implicará se você irá ou utilizá-la é o prazo.

Como percebe-se, a venda coberta é um tipo de financiamento que portanto levará tempo. Então, esta é uma forma de gerar lucro seguro e a longo prazo.

Agora, se você é um investidor seguro, de longo prazo e com pleno conhecimento do que deve ser feito ou não, então enfie o pé no acelerador e desfrute das vantagens dessa rentável abordagem.

Mas por que falei do conhecimento? Porque o investidor é a engrenagem principal de todo este sistema, pois é justamente o operador que pode aumentar e muito a probabilidade de suas opções cobertas serem devidamente exercidas, gerando lucro.

Percebeu? Agora a partir das vantagens e riscos tire suas próprias conclusões: 

Vantagens

Baixo risco de operações

A essa altura do campeonato você já deve ter visto que uma das vantagens e quem sabe a maior delas é o baixo risco de operações.

Como vimos na exposição de como funciona a venda coberta nota-se que no caso da call há poucas formas de sair no prejuízo, pelo contrário tem rentabilização mesmo se a opção não for exercida.  Quando ocorre o exercício e somos obrigados a entregar o papel, o que pode ocorrer é deixar de ganhar com o restante da alta, mas não perder dinheiro. O risco é apenas deixar de ganhar. Lembrando, caso você tenha ações para cobrir as operações, caso contrário o prejuízo máximo é ilimitado.

Lucro superior a renda fixa

Outra vantagem que foi muito falada durante o artigo foi inegavelmente a possibilidade de renda superior à renda fixa.

Sendo assim, ao invés de deixar seu dinheiro “parado” na poupança, pense duas vezes e veja que a venda coberta pode ser uma ótima alternativa de rentabilização.

Mas é claro, que nos casos da falta do exercício PODE haver uma rentabilidade menor.

Ausência da necessidade de acertar a direção do mercado 

Por fim, a falta de necessidade de torcer para o mercado cair ou subir.

Já que tanto na queda há a rentabilização por parte do prêmio, quanta na alta há rentabilização da venda mais o prêmio 

Riscos

Baixa liquidez

A baixa liquidez é um dos desafios quando se trata de opções..

Por isso, para fazer sua venda coberta, escolha os papéis com liquidez nas opções, dessa forma você não terá que se preocupar caso tenha que desmontar ou até mesmo rolar a operação.

 A possibilidade de lucrar mais no mercado à vista 

Um risco que anda de mão dadas com a anterior é a chance de lucrar mais no mercado à vista.

Por mais que a venda coberta possa dar renda, existe a possibilidade de lucrar mais vendendo as ações no mercado à vista (mas terá que contar com mais riscos obviamente).  

Lucros limitados

Por último, os lucros limitados podem ser um risco para determinados investidores.

Isso acontece porque toda renda que o lançador terá já é predestinado lá no acordo, com o valor do strike e do prêmio. Dessa maneira tem um limite do quanto pode-se ganhar.

Afinal, como lucrar com venda coberta de opções?

Lucrar na venda coberta é quase uma REGRA porque os riscos surfam ondas baixíssimos e a possibilidade de lucro surfam outras ondas só que agora altíssimas.

Portanto, o risco é baixo, mas como conseguir lucrar mais efetivamente? Primeiramente, é preciso que o investidor tenha retido muito conhecimento sobre o assunto para que assim tenha a possibilidade de aumentar a probabilidade de lucro.

Depois que tiver este entendimento do assunto, parta agora para estratégias que possibilitem que a opção seja exercida, o que gera um lucro maior.

E enfim, defina e compare a melhor taxa de venda coberta. Como? 

A primeira dica que dou é entender que quanto mais fora do dinheiro (OTM) não quer dizer que será mais rentável porque a taxa da opção com valor de strike menor pode ser maior por conta do prêmio. 

Além disso, é muito difícil que haja um alto valor fora do dinheiro.

E a outra dica é que a taxa deve ser comparada com o prazo. Por exemplo, se tiver uma taxa de 5% a 15 dias é uma ótima alternativa. Mas se agora, o prazo for de meses não vai valer tanto a pena assim. 

Conclusão

Sintetizando esse amontoado de conteúdo, a venda coberta é uma abordagem vantajosa SIM, mas em partes.

Em partes, porque vai depender do estilo de investidor que você é. Caso você seja um mais seguro que prefere lucros a longo prazo, a venda coberta é sua estratégia ideal.

Além disso, vimos dois tipos  de venda coberta, que foram a de call e a de put. Vimos vantagens, riscos, detalhamento de taxas e etc.

Mas agora é com você, sentiu que essa estratégia será útil para sua carteira? Se sim, fico feliz por ter apresentado ela para você; e não? Nos conte o porquê! 

luiz fernando roxo.

adicione um comentário

siga-me

Não se acanhe! Entre em contato!