blog do luiz fernando roxo.
como usar o pix
Início » Como usar o PIX? 18 dúvidas respondidas

Como usar o PIX? 18 dúvidas respondidas

Como funciona o pagamento instantâneo

O mercado financeiro está cheio de novidades e agora é a vez do PIX, o meio de pagamento instantâneo lançado pelo Banco Central. E por ser muito recente, poucas pessoas sabem como funciona o PIX. 

Antes de mais nada, o PIX é uma novidade para realizar transferências entre bancos.

E a pergunta que deixo pra você pensar é: Por que o Banco Central resolveu facilitar as transferências e diminuir taxas?

Bom, o importante é que você chegou até aqui para entender como funciona o PIX e como você pode utilizar essa ferramenta no seu banco. 

Afinal, você está cuidando do seu patrimônio e entender de forma clara todas as ferramentas financeiras faz parte do processo. 

1 – O que é o PIX?

O PIX é um novo método de pagamento instantâneo criado pelo Banco Central do Brasil. Com ele, pessoas e empresas poderão fazer suas transferências e pagamentos em até 10s por um aplicativo de celular. 

Vale dizer que ele tem sido estudado desde 2018 como uma alternativa aos métodos de pagamentos e transferência de dinheiro, como DOC e TED.

No entanto, vale dizer que os outros métodos de transferência e pagamento continuam valendo normalmente. 

A princípio, o PIX já poderá ser usado para transferências e pagamentos a partir do dia 16 de novembro.

Sendo que sua utilização será feita em parceriacom os principais bancos (Itaú, Santander, Bradesco, CAIXA etc) e instituições financeiras.

2 – Como Funciona o PIX?

O PIX é um novo método de pagamentos que será atrelado a uma conta bancária que você já possui. Sendo que voce pode usar qualquer tipo de conta (corrente, poupança, PJ, etc).

Ou seja, para usar este novo método de pagamento, você não precisará abrir uma nova conta. E sim cadastrar o PIX na conta que você já usa normalmente.

Em outras palavras, não haverá um aplicativo específico do PIX.

Assim, serão implementadas opções de pagamento do PIX dentro de todos os aplicativos de instituições financeiras participantes. 

Ou melhor, do seu banco!

Dessa forma, o PIX funciona como um cartão de crédito ou TED, que também são meios de transferência e pagamentos.

Ou seja, ao invés de pagar suas compras com o cartão de crédito ou débito, a partir de novembro você poderá usar o PIX também. A vantagem é que ele é muito mais rápido, prático e seguro. 

Por determinação do Banco Central, todas as instituições financeiras com mais de 500 mil clientes deverão oferecer o PIX como meio de pagamento. Além dos meios que eles já oferecem.

Então, não se preocupe, pois muito provavelmente o seu banco está nesta lista. 

como funciona o PIX

O PIX vai ser gerido e operado pelo Banco Central por meio do Departamento de Operações Bancárias e de Sistema de Pagamentos (Deban).

Sendo que a instituição está ligada ao Sistema de Pagamentos Instantâneos, o SPI. Sendo assim, o orgão será responsável por conectar todas as instituições participantes, como bancos, cooperativas de crédito e outras instituições financeiras.

3 – Quanto custará o PIX?

O Banco Central não definiu o valor da taxa a ser cobrada por transferências e pagamentos realizados pelo PIX.

Com isso, deixou livre para cada banco decidir o quanto cobrar de seus clientes.

Assim como funciona com os cartões de crédito ou mesmo TEDs, onde cada banco cobra uma taxa.

No entanto, é importante saber que o PIX para as pessoas físicas será cobrado na maior parte do tempo. No entanto, cada banco irá determinar o valor. 

Por isso, se você tem conta aberta em mais de um banco, vale se informar qual deles tem a menor taxa.

Assim, você pode opter qual o melhor deles para fazer os pagamentos pelo PIX.

Quanto custara o pix

Para pessoas jurídicas, no entanto, as instituições financeiras podem cobrar alguma taxa relacionada às transações de empresas, tanto de quem paga, quanto de quem recebe. 

Com isso, as taxas ficarão a critério destas instituições, sendo que aqui também as taxas podem variar de um banco para outro.

Mas o Banco Central ainda não disponibilizou dados mais específicos sobre os valores (mínimos e máximos) que podem ser cobrados. 

4 – Como funcionará o pagamento Instantâneo pelo PIX?

O PIX aparecerá como opção de pagamento e transferência nos aplicativos de celular, seja de bancos, instituições financeiras e outras empresas de pagamentos.

E o pagamento com o novo método poderá ser realizado com dois passos bem simples:

  • Passo 1: Na hora de realizar um pagamento, selecione o PIX como opção no aplicativo do seu banco. Depois, siga as instruções apresentadas para efetuar a transação.
  • Passo 2: Assim que você selecionar a opção PIX para efetuar seu pagamento ou transferência, informe a chave de PIX. Ou faça a leitura de um código QR atrelado a quem for receber o dinheiro.

Além do celular, também é possível utilizar o PIX para a realização de pagamentos pelo computador. Por exemplo, compras online, fazer transferência para amigos e pagar contas de luz. 

E para pagar pelo computador, basta seguir os mesmos passos acima. 

5 – O PIX irá substituir o TED e o DOC?

Apesar de ter funções parecidas, o PIX não substitui o TED ou DOC.

Isso porque eles são restritos pelos dias e horário de funcionamento e até mesmo por valor de transferência, restrições que não se aplicam ao PIX. 

A maior diferença entre o PIX e os outros métodos de pagamento e transferência existentes (como DOC e TED) é justamente sua rapidez e flexibilidade.

Isso porque não existe limite de horário e as transações podem ser feitas em até 10s. 

Por isso, vale dizer que as transações realizadas pelo PIX são feitas de forma imediata. Ou seja, à qualquer hora do dia e em qualquer dia da semana (feriados inclusos).

6 – As transações feitas pelo PIX terão limite de valor?

Como usar o Pix

Sim! 

No primeiro momento, o Banco Central determinou regras e limites para as transações monetárias utilizando o PIX..

  • Até fevereiro de 2021, os bancos devem oferecer pelo menos 50% do limite do TED para transferências entre contas de mesma titularidade. 
  • À partir do dia 1º de Março de 2021, os limites serão estendidos, mais uma vez dependendo de cada caso.

No entanto, é importante dizer que os critérios são diferentes para cada titular.

Além disso, eles podem variar de acordo com dia, horário, e forma de iniciação da transferência. 

Além disso, esses valores servem apenas como um piso para o que os bancos oferecem, com valores bem maiores podendo ser oferecidos pelas instituições.

Esses são os valores mínimos possíveis, de acordo com as regras estabelecidas atualmente:

  • Transações realizadas em dias uteis, de 6h às 20h:
  • Entre contas de mesma titularidade: 50% do TED
  • Entre contas de titularidade diferente, realizadas por computador: 50% do TED
  • Contas de titularidade diferente por chave Pix já utilizada: 50% do TED
  • Contas de titularidade diferente por chave Pix nunca antes utilizada: Mesmo limite do cartão de débito.
  • Código QR dinâmico ou Estático: Mesmo limite do cartão de débito.
  • Transações realizadas aos Sábados, Domingos e Feriados, de 6h às 20h
  • Contas de mesma titularidade: Mesmo limite do cartão de débito.
  • Entre contas de titularidade diferente, realizadas por computador: Mesmo limite do cartão de débito.
  • Contas de titularidade diferente por chave Pix ja utilizada: Mesmo limite do cartão de débito.
  • Código QR dinâmico ou Estático: Mesmo limite do cartão de débito.
  • Entre contas de titularidade diferente por chave Pix nunca antes utilizada: Mesmo limite do cartão de débito.
  • Transações realizadas entre 20h e 6h:
    • Todas as transações utilizarão o mesmo limite do cartão de débito.

À partir do dia 1º de março, todas as transações possuirão o limite ajustado para ser igual ao disponível para TED.

No entando, existe exceção para as transações realizadas por QR Code ou de primeira utilização de chave, que continuarão sendo iguais ao limite do cartão de débito.

7 – Quando posso começar a usar o PIX?

As operações do PIX começam oficialmente no dia 16 de Novembro de 2021, com o cadastramento das chaves tendo começado no dia 5 de outubro.

Por isso, após a realização do cadastro, é possível que haja alguma demora para que sua chave seja liberada. 

8 – O que é a chave do PIX?

As chaves PIX funcionam como um “endereço” para a sua carteira virtual. 

Isso significa que ao realizar uma transferência, ao invés de pedir os dados da sua conta e CPF, você precisará apenas informar a chave PIX.

Uma chave PIX pode ser criada utilizando seu CPF/CNPJ, seu telefone, seu e-mail ou uma chave completamente aleatória criada pelo Banco Central.

9 – Quantas chaves PIX eu posso ter?

Quantas chaves Pix posso ter

A princípio, depende do seu tipo de usuário. Ou seja, uma pessoa física pode registrar até 5 chaves diferentes para sua conta.

Enquanto isso, uma pessoa jurídica pode contar com até 20 chaves diferentes por conta. 

Como existem 4 tipos possíveis de chave (CPF/CNPJ, telefone, e-mail e aleatório), é possível cadastrar mais de um e-mail por conta. Ou mais de um telefone, dependendo do que você desejar. 

No entanto, não é possível adicionar uma mesma chave para mais de uma conta. 

Por exemplo, se você adicionar seu CPF como chave PIX no banco Itaú, você não poderá usar seu CPF como chave no banco Santander.

Porém, existe a possibilidade de realizar a portabilidade de uma chave de uma conta para outra, caso você deseje mudar a conta vinculada à chave.

10 – O que acontece se você fornecer informações incorretas no PIX?

Caso você cometa algum engano ao fornecer informações ao PIX, você será alertado e a transação não ocorrerá. Após esse alerta, você poderá tentar realizar a transação novamente.

11- O PIX funciona todos os dias mesmo?

O PIX funcionará 24 horas por dia e 7 dias por semana, com suas transações ocorrendo de forma instantânea em qualquer horário. 

A única diferença é que dependendo do horário das transações, o PIX terá um valor máximo que você poderá usar para pagar ou transferir.

Isso acontece porque o Banco Central determinou regras que atrelam dias e horários ao valor máximo de uma transação.

12 – Para usar o PIX preciso ter conta em banco?

Não é estritamente necessário possuir uma conta em um banco para ter uma chave PIX. Porém, é necessário possuir um vínculo com alguma instituição financeira, de pagamento ou cooperativa de crédito. 

Isso porque o PIX não é restrito à bancos, e portanto, é possível adquirir uma chave utilizando um aplicativo de pagamentos, como Picpay e Ame Digital.

13 – Quais bancos aderiram ao PIX?

Até o presente momento, mais de 930 instituições já realizaram a solicitação para aderir ao PIX junto ao Banco Central. Rntre elas bancos, cooperativas de créditos e financeiras varejistas.

Entre os bancos maiores e mais tradicionais que aderiram ao PIX, estão Bradesco, Itaú, Caixa, Santander e o Banco do Brasil. 

No entanto, o banco que lidera o número de chaves cadastradas é o banco virtual Nubank. Nesse caso, ele possui mais de 8 milhões de chaves cadastradas até o momento. 

Entre os aplicativos de pagamento, PagSeguro e PicPay entre as instituições com mais chaves cadastradas.

Confira a lista completa de bancos que aderiram ao PIX

14 – Quais os melhores bancos para utilizar o PIX?

Quais bancos aderiram ao PIX

Porém, ainda é difícil dizer com certeza qual a melhor instituição para atrelar suas chaves PIX.

Isso porque o Banco Central ainda não liberou as taxas mínimas e máximas que os bancos poderão cobrar. 

No entanto, alguns bancos como o Nubank já estão afirmando que não cobrarão taxas em transações pelo PIX. Nem mesmo de pessoas jurídicas, o que é um grande atrativo para os clientes. 

Além disso, o Nubank também garante que as transações realizadas por suas chaves não terão limites. Todas estas vantagens, com certeza ajudaram a garantir a sua posição como primeiro lugar em chaves PIX registradas.

Do outro lado, os bancos mais tradicionais (Itaú, Bradesco e Santander) tem brigado para conseguir o cadastro de seus clientes.

Para isso, muitos tem oferecido até mesmo o sorteio de prêmios em dinheiro para chaves sorteadas. 

Por fim, entre os banco tradicionais, quem lidera o número de chaves registradas é o Bradesco, com 3.7 milhões de registros. Em 2º lugar vem a Caixa Econômica, Banco do Brasil, Itaú Unibanco e Santander.

Ainda assim, mesmo que ainda não saibamos quais serão as taxas cobradas por cada instituição, os valores deverão ser informados.

Afinal, o Banco Central trouxe como medida obrigatória que as taxas sejam informadas nos comprovantes das transações.

Com isso, fica mais fácil saber quanto o seu banco está cobrando apenas em taxas.

15 –  Vantagens de usar o PIX

Porém, vou ser sincero com você, ainda não posso afirmar quais as vantagens porque ainda não utilizei a ferramenta. 

E entre as vantagens informadas pelo Banco Central estão:

Praticidade 

Com o PIX as transferências e pagamentos são realizadas em até 10 segundos, onde quer que você esteja. Para isso, basta ter um smartphone, ou até mesmo utilizando meios físicos disponibilizados no local.

Comodidade

As transferências e pagamentos com o PIX podem ser realizados a qualquer hora, em qualquer lugar, 24 horas por dia e 7 dias por semana.

Para isso, você precisa apenas saber a sua chave PIX. 

Segurança

Por conta das chaves do PIX, você não precisará mais informar vários dados pessoais para receber uma transferência ou pagamento instantâneo.

Inclusive, você poderá até mesmo utilizar uma chave completamente aleatória vinculada à sua conta. 

Além disso, as transações do PIX também contarão com as mesmas camadas de segurança presentes no TED e no DOC, como autenticação e criptografia.

Economia

O PIX será gratuito para pessoas físicas ou mesmo jurídica, dependendo da instituição financeira. Grandes bancos, como Santander, Itaú, Bradesco e Banco do Brasil tendem a cobrar taxas maiores. 

Já os bancos digitais, como o próprio Nubank, terão taxa zero para as transações do PIX. 

16 – Quais bancos oferecem taxa zero para o PIX?

  • Nubank

17 – PIX para empresas: como funciona e quais as vantagens?

A princípio, o PIX para empresas funciona quase da mesma forma que a versão para pessoas físicas. Com isso, ele traz grandes vantagens para empresas, especialmente as de pequeno porte.

Entre as diferenças estão a possibilidade de se cadastrar um maior número de chaves por CNPJ e a cobrança de taxas pela instituição bancária.

De antemão já é possível informar que a cobrança deve ser maior que a de pessoas físicas. 

No entanto, mesmo com a cobrança de taxas, as vantagens do PIX sobre outras formas de pagamento para pessoas jurídicas são diversas. A maior delas é que, diferente dos boletos, o pagamento cai instantaneamente na sua conta. 

E, diferente do cartão de crédito, você não precisa comprar ou alugar uma maquininha, e pagar uma mensalidade, para passar o cartão. 

No geral, é uma vantagem para a empresa poder gerar um código QR à qualquer momento e receber o dinheiro instantaneamente.

Isso faz com que o fluxo de caixa ocorra infinitamente mais rapidamente do que por métodos tradicionais.

18 – Qual a diferença entre QR codes estáticos e dinâmicos?

Existem duas possibilidades de leitura de código QR para a realização de transações no PIX.

  • Código estático: pode ser reutilizado várias vezes, permitindo que seja definido um valor fixo para um certo produto ou serviço oferecido.

Esse tipo de código pode ser usado entre pessoas ou por um vendedor que possui um valor fixo para um produto.

  • Código dinâmico: é mais adequado ao pagamento de contas, já que seu valor é variável, apresentando diferenças entre cada transação. Inclusive, ele pode ser deixado em branco, permitindo que o próprio pagador inclua o valor.

    Além disso, ele permite a inclusão de informações adicionais sobre aquela transação específica, como por exemplo uma data de expiração.

Conclusão:

O PIX foi criado para como mais uma opção para transações financeiras, porém muito mais rápido e barato que as tradicionais. 

Funcionando como um sistema de pagamento instantâneo, ele garante um maior fluxo de caixa para pequenos empreendedores. Além de ser uma opção mais segura de pagamento para pessoas físicas. 

Porém, mesmo com todas as vantagens, o PIX não irá substituir instantâneamente os outros métodos de pagamento existentes (cartão de crédito, débito, boletos, DOC e TED).

Contudo, é um grande passo na direção certa para facilitar a vida dos clientes das instituições financeiras.

Além de garantir mais liberdade e flexibilidade na forma como as pessoas utilizam seu dinheiro.

E, atenção, antes de escolher um banco para cadastrar sua chave, lembre-se de checar as tarifas cobradas por ele. Ou o barato pode sair caro. 

luiz fernando roxo.

luiz fernando roxo.

adicione um comentário

siga-me

Não se acanhe! Entre em contato!