blog do luiz fernando roxo.

antifrágil, o progresso diante do caos.

Esse aí é um conceito na qual eu respiro e me inspiro todos os dias, que é o modo de ser antifrágil.

Apesar de ser um conceito que me acompanha nesta jornada de vida pessoal e profissional de uma forma muito entrelaçada, vou tentar ser o mais objetivo possível para quem quer entender a ideia de antifragilidade nos investimentos!

Vamos entender...

Bom, para começar acho que durante a vida toda ouvi que uma das características fundamentais para o ter sucesso era ter que ser resiliente.

Que não existe sucesso sem resiliência, que só os fortes conseguem aguentar e sobreviver no final. Que é preciso ter ‘canela grossa’ para continuar e não desistir, por ai vai…

Afinal, o sucesso é como um grande campeonato, e poucos são os que possuem capacidade de suportar o fracasso.

Vou para a Física para poder explicar

Resumindo, resiliência é a propriedade que alguns corpos apresentam de retornar à forma original, após terem sido submetidos a uma deformação.

Agora, traduzindo aqui para nós do mundo dos negócios, resiliência seria algo como receber estímulos negativos (pressão, erros) e não se abalar. 

Uma pessoa resiliente tem grande capacidade de receber fracassos e continuar lutando com a mesma energia de quando ela começou. 

O mais curioso é que tendemos a associar resiliência a algo que tem propriedades robustas. Porém, a própria física mostra que os materiais mais resilientes são aqueles que tem flexibilidade, como molas

Mas, apesar dessas virtudes, resiliência é algo estático. E é quase que o mesma ideia na saúde de homeostase. Homeostase é quase a morte!

Desta forma, o conceito de resiliência é algo fixo pois se refere a um material que aguenta deformações e que consegue voltar ao mesmo estado padrão. Essa capacidade está diretamente relacionada com a solidez de se fixar numa possibilidade e não se deformar, ou seja, não desanimar e aguentar firme. 

O mundo está mudando e um novo conceito surgiu para aprimorar a nossa visão sobre como lidar com os erros e com as dificuldades. 

Sabe aquele conceito que “quanto mais se apanha, melhor se joga”. Bom, é esse ideia que quero passar para você hoje.

O que é antifrágil?

Antifrágil trata-se de um conceito, desenvolvido pelo cada vez mais conhecido e citado Nassim Nicholas Taleb – também criador do conhecido Cisne Negro. O conceito foi apresentado no seu livro de 2012: Antifrágil: coisas que se beneficiam com o caos. 

Desta forma, para você entender o que é antifrágil, de maneira simples é partirmos para a definição do que é frágil.

O nome vem da anologia que o Taleb fez com as embalagens com o rótulo “frágil”, que portanto, deve ser manipulado com todo o cuidado, que seria algo que sai prejudicado (quebra, rompe ou deforma) quando submetido à pressão de um agente externo. 

O Antifrágil

Assim, antifrágil seria o oposto de frágil. Seria algo que melhora quando está diante de uma situação inesperada. 

Essa lógica é bem interessante pois quebra com o modelo de que o oposto de fragilidade está em força, resiliência, resistência ou robustez – características de quem é capaz de suportar situações extremas sem se alterar. 

Ao buscar somente essas duas características, você não irá melhorar com o caos, permanecendo no mesmo estado em que está. 

Assim, no argumento de Taleb, dizer que algo resistente é o oposto de frágil é como dizer que neutro é o oposto de negativo.

Por outro lado, se você optar pelo caminho do antifrágil, irá encarar os eventos adversos de frente e se aperfeiçoará diante deles. 

Dessa forma, para poder crescer pessoal e profissionalmente, nós não devemos evitar o caos. 

Como assim Roxo?

Se você esquivar e se proteger de ataques ou mudanças bruscas pode parecer um caminho seguro, mas não é a melhor opção para o seu desenvolvimento. 

Se você fizer isso, vai acabar camuflando as suas vulnerabilidades, quando o verdadeiro líder precisa reconhecê-las e trabalhar para aperfeiçoá-las.

Assim, adiar uma crise não é uma boa ideia.  

Sem a aleatoriedade, caos, desordem e estresse, o antifrágil não tem como aprender, reforçar-se, melhorar e evoluir.

O Modo Ser Antifragil

Podemos concluir que ser antifrágil é justamente torna-se mais forte com as adversidades.

O caos por ser tão desafiador, faz com que nos tornemos mais adaptados e preparados para enfrentar qualquer situação. 

Se você for antifrágil, você sairá ainda mais forte de situações adversas. Isso é bem mais do que ser resiliente. Se quiser se aprofundar vale a leitura do artigo Antifragilidade: muito além da Resiliência.

O antifrágil utiliza esses choques para se fortalecer.

Concluindo, significa não apenas se proteger contra eventos adversos, mas ganhar com esses eventos adversos. 

No caso, investimentos antifrágeis seriam aqueles que se beneficiam no caos e irão te render dinheiro. 

Como aplicar esse conceito nos negócios e investimentos? 

Taleb é professor de riscos no Instituto Politécnico da Universidade de Nova York. Ele é considerado um dos maiores especialistas no planeta em mercado financeiro, indústria repleta de incertezas e fragilidades. 

Antes da quebra do banco Lehman Brothers, em 2008, publicou livros prevendo o colapso financeiro. Ele costuma chamar de “cisnes negros” os grandes acontecimentos que não podem ser previstos e que trazem reflexos enormes no mercado.

Mindset Antifrágil

Esse mindset é importante pois nos ajuda a lidar com os riscos e incertezas presentes nos mais diversos âmbitos de nossas vidas. 

No competitivo mercado de trabalho, em que todos são constantemente testados, os mais fracos não resistem à ocorrência dos eventos inesperados e você será um “sobrevivente” caso absorva esse conceito de antifragilidade. 

Antifragilidade no mundo dos negócios pode ser entendido como alguém que quanto mais se expõe a condições de stress, mais essa pessoa se fortalece.

É como se cada vez que ela se depara com um erro ela aumentasse a sua motivação e melhorasse sua capacidade.

Ela se beneficia do inesperado e das situações negativas pois isso faz ela crescer.

Assim, enquanto na resiliência você continua apesar dos erros, com a antifragilidade você continua por causa dos erros, é como se olhássemos isso de forma positiva.

A tranquilidade não nos leva a evoluir, e evitar erros também é uma atitude ruim. Não é possível aprender sem erros. 

O antifrágil cria a consciência da existência de fatores externos e inesperados (muitas vezes é difícil lembrar deles na hora de se planejar) e, diante desses fatores, encara a aleatoriedade com naturalidade e como fator benéfico, sempre buscando aperfeiçoamento. 

Enquanto todo mundo aposta em prevenção de riscos e antecipação de crises, você vai ser o único crescendo e se desenvolvendo diante dessas situações. 

E os investimentos antifrágeis?

Investimentos antifrágeis são aqueles que não são apenas resilientes a perdas em ambientes turbulentos que o mercado passe, mas aqueles que o fazem ganhar nesse cenário. Ou seja, se fortalecem quanto maior for o pânico que o mercado estiver passando.

Uma boa forma de fazer investimentos antifrágeis é adquirir opções em ambientes de calmaria, quando elas estão muito baratas, para que elas possam se valorizar quando ocorreram eventos que levarão a derrocada dos mercados.

Eventos turbulentos acontecem, mas não são uma obrigatoriedade. A estratégia do pozinho, que desenvolvi, tira vantagem exatamente destes eventos turbulentos.

Para ler mais: https://blog.luizfernandoroxo.com.br/estrategia-do-pozinho/

Por isso, tome cuidado com estratégias de opções e tente as comprar sempre por um preço bastante baixo, que não resulte em perdas relevantes e tenha potencial de grandes ganhos.

E ai, você é antifrágil?

Começando, é preciso se colocar em situações de risco, pois sem risco não é possível errar e acertar. Quando criamos condições de risco podemos então experimentar e aprender.

Temos a tendência de acreditar que grande parte do conhecimento e aprendizado vem da teoria, mas isso é uma falácia, grande parte dos aprendizados vem do simples ‘tentativa e erro’.

Quanto mais erros diferentes você comete, mais aprendizados diferentes possui também. Antifragilidade tem absolutamente tudo haver com sair da zona de conforto.

A seguir, vou colocar algumas reflexões que vão te ajudar a perceber se você está adotando uma postura antifrágil na vida: 
  1. Ao fazer seu planejamento, você procura considerar a existência de cenários inesperados ou apenas visualiza o mundo ideal? 
  2. Você prefere os momentos de estabilidade ou de instabilidade? 
  3. O caos te assusta ou te motiva? 
  4. Você enxerga a crise como um problema ou uma oportunidade? 
  5. Nos seus projetos, você precisa ter tudo sob controle ou de saber se virar diante do imprevisível? 

Como aplicar a ideia?

Seguem as minhas dicas

1 – Cresça 1% cada dia

Pensa só, os músculos do corpo humano são antifrágeis! Quando você os expõe a uma quantidade regulada de stress proporcionado por pesos ou aparelhos ginásticos, eles crescem.

O desgaste muscular faz o músculo evoluir, mas o que acontece se você tentar forçar demais? Ele se danifica.

Assim, ser antifrágil é se preocupar em corrigir os pequenos erros para que eles não se tornem grandes demais no futuro.

São as pequenas melhorias que causam um crescimento exponencial! Por isso não faz sentido dar um passo maior que a perna, os riscos vindo de uma grande tentativa tem consequências que podem comprometer outros experimentos.

É mais inteligente errar pequeno várias vezes e de forma rápida.

Criatividade também está diretamente alinhada com isso, pessoas que combinam coisas diferentes são criativas, e obviamente isso significa correr riscos. Por isso o risco precisa ser administrado.

Sobre antifragilidade e criatividade você pode ler o artigo Criatividade e Inovação: como a antifragilidade pode te ajudar

O erro é também um grande diferencial competitivo, se você comete erros que ninguém nunca cometeu, você tem aprendizados que outras pessoas não possuem.

2 – Aprenda a apanhar (muito!)

Tão importante quanto saber lidar com pequenos erros, também é preciso saber lidar com os vexames.

Se tem uma coisa que todo empreendedor conhece muito bem é o famoso imprevisto, e nos dias de hoje isso tem se tornado quase que uma regra.

Não deixe de agir por temer a ocorrência de erros com riscos menores (você aprenderá com eles caso se confirmem).

E não adie os seus problemas. Encare-os e leve o aprendizado consigo nos futuros projetos.

3 – O mundo é imprevisível

O mundo está numa velocidade fora do normal, estamos no inicio da curva exponencial da ciência e tecnologia, ou seja, daqui para frente os ciclos de aprendizado vão crescer mais rápido do que jamais visto na terra.

Eu só compreendi de fato isso quando me deparei com o seguinte número: Daqui uns 30 anos todo o conhecimento que temos hoje vai representar menos de 1% do conhecimento total do mundo. 

Se o mundo é imprevisível não vale mais a pena criar planejamentos de 5 anos como antigamente.

O antifrágil se beneficia do caos e por isso ele se preocupa mais em executar com maestria e analisar do que planejar minuciosamente.

4 – Se preocupe com o próximo passo

O próximo passo é sempre o passo mais importante que você vai dar na sua vida.

Se você fizer as suas tarefas bem feitas, se preocupando em executar com capricho, as coisas simplesmente se conectam.

5 – Foco no erro como aprendizado

Quem se preocupa demais com resultado, ou esforço, acaba esquecendo de se preocupar com o mais importante: Aprender.

Em tudo que fizer busque sempre a perspectiva do aprendizado: 

  1. O que eu aprendi?
  2. Como posso fazer melhor?
  3. Como fazer menos, mais rápido e melhor?
Acho que esse é o maior ensinamento desse texto!

Já os antifrágeis não apenas resistem às intempéries provocadas pelo contexto VUCA (de volatilidade, incerteza, complexidade e ambiguidade), como também aproveitam a instabilidade para crescer.

Ao contrário de evitar os erros a todo custo, aprendemos no mundo das startups que devemos errar muito, mas gastando pouco e aprendendo rápido.

Experimentos devem ser realizados o tempo inteiro afim de aprender, por isso foco no aprendizado

6 – Progresso diante do caos

Se você entendeu que para aprender é preciso apanhar e errar muito de forma inteligente, então você entendeu o verdadeiro conceito de antifragilidade.

Cada vez mais iremos nos deparar com situações aleatórias que trarão desordem e angústias. 

Resumindo…

Analisar as próprias fraquezas é uma das formas.

Em outras palavras, deixar que esses pequenos incêndios ocorram “limpa a floresta” dos materiais que evitariam um grande incêndio. 

Qual a lição? Não tenha medo dos riscos menores!

luiz fernando roxo.

luiz fernando roxo.

adicione um comentário

fique por dentro

receba gratuitamente as atualizações do blog!

siga-me

Não se acanhe! Entre em contato!

 

Luiz Roxo Comunidade Telegram

faça parte da minha comunidade no Telegram

Fazer parte de uma comunidade é fundamental para o seu processo de desenvolvimento. Isso ajuda você a tirar suas dúvidas e realmente aprender. Acesso a conteúdos EXCLUSIVOS! Para fazer parte, basta responder a uma pesquisa!


quero fazer parte.

 

 

Luiz Roxo Estratégia Pozinho

curso estratégia do pozinho.

Aprenda a investir em opções com segurança e possibilidades de ganhos explosivos. Uma estratégia consagrada com um professor super didático.


quero aprender.